Como manter uma rotina de estudo – 4 dicas simples, mas altamente eficazes

Como manter uma rotina de estudo é uma das partes mais importantes para alcançar seu potencial de aprendizado para o concurso que você deseja passar.

Algumas pessoas de sorte podem conseguir dar o gás no último minuto e se saírem bem, mas são uma exceção.

Para a maioria, o estudo exige esforço, comprometimento e um impulso extra de motivação na preparação para as provas.

Tudo o que realmente nos dizem na escola (e, na verdade, pela sociedade) é — estude muito e você vai se sair bem.

Mas como vivemos em um mundo livre, como você realmente estuda, fica inteiramente por sua conta. 

Felizmente, a internet agora existe e podemos nos conectar e compartilhar nossas dicas sobre estudar e ajudar e aprender uns com os outros.

Neste post, vamos nos concentrar em quatro dicas de estudo simples, mas práticas e altamente eficazes para ajudar você a como manter uma rotina de estudos.

4 passos para manter uma rotina de estudos

aplicativos-rotina-estudos

Primeiro de tudo, vamos tentar definir os parâmetros de uma “rotina”

Rotina de estudos significa estudar por oito horas todos os dias, sem falhas, antes das provas? Não.

Significa que você nunca pode fazer outra coisa senão estudar quando chega em casa? Não.

Significa que você falhará em seus exames se perder uma tarde programada? Também não.

Ter uma rotina de estudo significa estudar consistentemente em um período de tempo não insignificante.

Dentro desse período, você terá dias bons de estudo e dias ruins de estudo. Em alguns dias você pode não conseguir estudar nada! Talvez porque você tenha tirado uma folga merecida, ou talvez porque a vida aconteceu e o estudo simplesmente não teve encaixe.

Os melhores concurseiros estudam todas as horas de todos os dias na preparação para as provas? Realmente não. Eles têm um plano de estudos que mais ou menos cumprem ao longo do ano e, certamente, na preparação para os exames. Mas eles não são robôs. Eles também fazem pausas nos estudos.

Agora, vamos de fato iniciar a lista de quatro dicas para ajudá-lo a manter a rotina de estudos.

1. Estude no mesmo lugar

Vamos começar com uma dica boa e fácil de colocar em prática.

É muito importante para a construção de um bom hábito (neste caso, manter uma rotina de estudo) que você faça as mesmas coisas repetidas vezes.

Quando se trata de manter uma rotina de estudo, parte disso significa estudar no mesmo lugar.

Você precisa estudar em um lugar que lhe proporcione um ambiente propício ao aprendizado.

Isso significa que o espaço é relativamente livre de distração (ou seja, não no meio da sala de estar de sua família) e espaçoso o suficiente para você manter seu computador, anotações, livros e todos os seus outros materiais de estudo em um único lugar.

Quando você chega em casa do trabalho ou acorda no início de um dia de estudo, não precisa começar limpando um espaço para ter onde estudar. Isso destrói a motivação. 

Você quer apenas ser capaz de se jogar em sua mesa e ficar concentrado sem qualquer aborrecimento.

2. Estude regularmente, não o tempo todo

Como já mencionado, uma rotina de estudo não precisa ser perfeita para funcionar.

O que uma rotina precisa para funcionar é de consistência.

Assim como o exercício e qualquer outra atividade que requer um pouco de estímulo, o estudo realmente fica mais fácil quanto mais você faz. O esforço mental necessário para se sentar e se concentrar reduz massivamente quanto mais você estuda regularmente.

Seu cérebro e seu corpo apenas se acostumam a fazer atividades e estudar regularmente. Com o tempo, o estudo acaba se tornando parte do tecido do seu dia a dia e menos uma provação.

3. Estude para mini-objetivos

Quando você estuda sem um plano e sem metas, é como dizer: “Eu vou escalar o Monte Everest este ano” sem um cronograma de treinamento.

A tarefa é enorme para ser alcançada sem atingir mini-metas ao longo do caminho. Primeiro de tudo você precisa do equipamento certo, entrar em forma e chegar ao acampamento base antes de chegar ao topo.

A cada sessão de estudos, tente ter um mini-objetivo para trabalhar. Por exemplo: “Esta manhã vou concluir a última parte do estudo de Português.”

Instantaneamente, você tem uma meta para trabalhar. Seu estudo tem propósito. Você tem maior probabilidade de ser produtivo e alcançar algo tangível quando se dá metas para alcançar.

Leia também o artigo que ensina seis dicas de como organizar matérias para estudar para concurso.

4. Tenha sempre em mente os benefícios a longo prazo de se esforçar muito agora

Quando você estiver no caminho para manter uma rotina de estudo, haverá dias em que você vai querer jogar seu material de estudo pela janela.

Você pode se sentir desmotivado por nenhuma razão óbvia (isso acontece com todos nós). Você pode se sentir como se não estivesse progredindo (mesmo que você esteja). 

Você pode achar que o período de estudo do exame NUNCA vai terminar.

Quando você se sentir assim, tente manter o objetivo final em mente.

Como você está bem ciente (e talvez cansado de ouvir!), você está trabalhando para metas de LONGO PRAZO.

Você está trabalhando em prol de um futuro em que você tem opções sobre o que quer fazer consigo mesmo quando terminar. Você está trabalhando para se preparar para poder realizar as coisas da vida que deseja.

Há um grande valor em tentar o seu melhor. Ninguém que tenta o seu melhor olha para o seu tempo e lamenta o esforço que eles colocaram, porque de alguma forma, grande ou pequena, ele os ajudou a chegar onde eles estão.

Então aguente firme nos dias difíceis. Os benefícios a longo prazo de estudar agora serão recompensados.

Aprender como manter uma rotina de estudos não é tão difícil e pode ficar ainda mais fácil com a ajuda dos gadgets certos.

Dentro do grupo de aplicativos para organizar estudos, o EstudAqui pode ser a solução que você precisava para montar um plano de estudos eficiente, personalizado e que atenda às suas necessidades.

Com ele você sabe como, quando e o que estudar.

Também possui a funcionalidade de controle para que possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo de estudos.

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Acesse a plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

6 técnicas para passar em concurso: Oo que você NÃO está fazendo [checklist]

Não importa se você começou a estudar agora ou se já tem anos de preparação, você pode estar fazendo alguma coisa errada que está impedindo-o de ser aprovado. Como eu não consigo saber o que você está fazendo, vamos ao que não está fazendo? A seguir, separamos 6 técnicas para passar em concurso público que precisam fazer parte do seu dia a dia.

Observação: todas as dicas podem ser aplicadas por quem estuda em tempo integral ou por quem estuda e trabalha.

6 técnicas para passar em concurso público [sem mistério]

#1 Defina a área de estudo

Um dos erros mais comuns de quem está começando a estudar para concurso, e mesmo para quem já está há um certo tempo na luta, é tentar atirar para todos os lados e fazer concursos de áreas diferentes.

Sim, você deve fazer várias provas, mas todas dentro de uma área escolhida.

Entre as mais comuns estão:

  • carreira Policial;
  • área Fiscal;
  • Tribunais;
  • Bancos, entre outras.

Se você quer a área fiscal, separamos um guia com “Plano de estudo para Auditor Fiscal da Receita Federal”.

Ao se concentrar em uma área você se torna um especialista. Ao contrário, estudar áreas diferentes torna você um concurseiro generalista, mas no que isso pode o ajudar? 

Com a concorrência atual, o concurseiro deve saber quase tudo sobre cada uma das matérias da prova que desejar fazer. Então, vamos ser sinceros, você não vai ter tempo de fazer isso se não tiver foco. Decida-se e se concentre em sua área e concurso!

#2 Aproveite cada momento que seria desperdiçado

Essa dica é válida principalmente se você trabalha e estuda.

Nesses casos, cada minuto é valioso, então você pode usar e abusar das aulas em áudio e ouvir o conteúdo a caminho do trabalho, na fila do banco ou esperando um cliente.

Outra técnica para passar em concurso é fazer mapas mentais (falaremos à frente) como forma de resumo da matéria e carregá-los com você. Assim sua hora de almoço pode virar um momento de estudo muito importante e produtivo.

Se você vive a correria de estudar para concurso e trabalhar, não desanime. Existem muitas técnicas para passar em concurso, especialmente desenvolvidas para o seu perfil. Como você verá adiante, tempo não é tudo!

Leia também: Plano de estudo para concurso para quem trabalha: como criar

#3 Comece antes da publicação do Edital

Todo concurseiro que está na luta há algum tempo sabe disso, mas vale reforçar. Deixar para estudar para o concurso só quando o edital é divulgado pode ser fatal e deixar seu planejamento em maus lençóis.

Se você sabe que quer uma vaga, prepare-se previamente usando o edital da edição anterior do concurso.

Essa é, sem dúvida, uma das técnicas para passar em concurso mais indicadas por aprovados nos principais concursos do Brasil, como você pode ver emComo se preparar para concurso do Senado: 8 dicas de experts”.

# 4 Resolva muitas questões e exercícios

Quando a gente fala muitas questões, são muitas mesmo!

Afinal, essa é a técnica para passar em concurso que vai provar que você está – ou não – dominando o conteúdo.

Além disso, é uma das formas mais eficientes de assimilar o teor das disciplinas.

Será que você está dedicando tempo suficiente aos exercícios e questões da sua área?

Use as provas antigas e exercícios dos seus materiais de estudo.

Por falar em materiais de estudo, sim, você vai ter que investir em conteúdos pagos para se preparar adequadamente.

Os materiais gratuitos que encontramos na internet são bons, porém, limitados. Não se prenda a eles.

#5 Crie um material de revisão em formato de mapa mental

Já citamos os mapas mentais, mas eles são tão importantes que merecem destaque entre as técnicas para passar em concurso.

Os mapas mentais são muito poderosos, porque permitem que você reproduza a forma como sua mente trabalha naturalmente, ou seja, interligando diferentes assuntos e fatos a um tema, pessoa ou acontecimento central.

Além disso, são extremamente visuais, o que também facilita a assimilação de conteúdo.

Se você não sabe como criar mapas mentais, pode usar o Mindmeister. A ferramenta está entre os aplicativos para organizar estudo que todo concurseiro deve usar para aumentar sua produtividade e poder de armazenar informações.

#6 Tempo não é tudo. Reúna disciplina e método

Independente da aplicação de qualquer uma das técnicas para passar em concurso que você encontrar aqui, tenha em mente que o tempo é apenas 1/3 do tripé que também é formado por disciplina e técnica.

É muito comum que concurseiros que se dedicam exclusivamente aos estudos usem mal este tempo, ao passo que concurseiros que também tenham outras atividades usem melhor suas horas, sendo mais produtivos, ou seja, estudando – e aprendendo – mais em períodos menores.

A procrastinação é muito comum em quem tem muito tempo para estudar e ela é a mãe da desmotivação e da baixa produtividade.

Então, antes de qualquer outra palavra, sugerimos que também leia o artigo: “7 dicas para focar nos estudos e se dar bem nos concursos”.

Continuando, é preciso que você tenha disciplina para seguir seu plano de estudo, independente de qual modelo você adotar. Nós indicamos o ciclo de estudo, criado por Alexandre Meireles, que já aprovou milhares de concurseiros nos mais disputados certames do Brasil.

Se você ainda não conhece, sugerimos que acesse nosso artigoComo fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz: 5 passos”.

O método permite que você divida seus estudos em blocos que se adaptam a sua rotina e aumentam sua motivação e produtividade.

Técnicas para passar em concurso

Fonte: Método de Estudo

A correta técnica para passar em concurso é resultado da soma de um plano de estudo bem desenvolvido, com os materiais e ferramentas utilizados por você.

O EstudAqui, por exemplo, é um aplicativo que monta seu plano de estudo personalizado com apenas um clique. Ao acessar a ferramenta você:

  • insere o nome do concurso que pretende prestar;
  • informa quais são os conteúdos em que você possui um maior nível de dificuldade ou facilidade.

Com esses dois passos, você terá um ciclo de estudos personalizado, bem como poderá contar com acesso a estatísticas e métricas especialmente pensadas para que melhore o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Acesse nossa plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui.

Ciclo de estudos Receita Federal: impulsione suas chances de aprovação com 4 passos

O concurso da Receita Federal é um dos mais concorridos do Brasil e está prestes a ter mais uma edição, com previsão de 2,1 mil vagas. Segundo informações do próprio órgão, existe, atualmente, um déficit de servidores que atinge os 21 mil cargos.

Se você quer uma dessas vagas, já deve começar a criar um ciclo de estudos da Receita Federal o quanto antes.

Se preparar para um concurso com grande concorrência pode ser cansativo, afinal, são muitas horas de dedicação. Para quem estuda e trabalha os dias podem ser ainda mais desafiadores. Entretanto, algumas boas práticas podem te ajudar a alcançar o sucesso de maneira mais eficiente, entre elas, aprender como montar um Ciclo de Estudos para Receita Federal. 

O Ciclo de Estudos vai auxiliar na:

  • organização de suas horas;
  • aproveitamento de cada período do dia;
  • aumento da produtividade, ou seja, com o ciclo você vai assimilar mais conteúdo em menos tempo;
  • organizar os horários para revisão do conteúdo.

O ciclo de estudos para Receita Federal é um método criado por Alexandre Meireles e é eficiente tanto para quem trabalha com outras atividades ao longo do dia, como para quem se dedica 100% ao concurso.

O modelo também é eficaz para quaisquer outros tipos de provas que você pretende fazer. Então, se ainda está em dúvida se a prova da Receita Federal é ou não é uma boa para você, sugerimos que aprenda essas técnicas e aplique para qualquer outro concurso.

Acredite, a metodologia do ciclo de estudo para Receita Federal já aprovou milhares de concurseiros nas provas mais difíceis do Brasil. Para conhecer algumas histórias acesse o conteúdo; Como se preparar para concurso do Senado: 8 dicas de expert”.

A imagem a seguir resume muito bem as principais vantagens do ciclo de estudo Receita Federal:

Ciclo de estudos Receita Federal

Fonte: Método de Estudo

Dica importante: quer ganhar tempo ainda por cima obter um ciclo de estudos perfeito e personalizado especialmente para você? Com o aplicativo EstudAqui você só precisa escolher o concurso para o qual deseja se preparar, definir as matérias nas quais têm mais dificuldade (e facilidade), e o app monta seu ciclo personalizado, automaticamente.

Então, vamos lá! A seguir, 4 passos simples e eficazes para montar um ciclo de estudos para Receita Federal.

Ciclo de estudos Receita Federal: 4 passos práticos

#1 Esqueça o método agenda

O Ciclo de Estudo não é um cronograma no qual você define dia, hora e matéria fixa para estudar.

Se no método tradicional você tem algo como: segunda de 9h às 12h: Raciocínio Lógico e de 13h às 18h: Português, no ciclo você não estabelece o dia nem a hora para se dedicar a cada matéria. Você apenas define blocos de tempo e organiza a ordem dos conteúdos.

Porque?

Porque por meio dessa metodologia você pode aproveitar melhor pequenos espaços de tempo para estudar e ainda, se algo sair diferente do esperado, isso não atrapalha seu planejamento e nem te deixa desmotivado. Você nunca teve que ir ao médico no mesmo horário que deveria estudar Português? E garanto que quando isso aconteceu você ficou extremamente frustrado por não ter conseguido bater sua meta do dia e ter atrasado seus estudos agendados.

No método tradicional, quando isso acontece você deixa de estudar aquela matéria ou tem que mudar toda a estrutura da agenda. Isso faz você perder tempo, ser menos produtivo, e ficar frustrado.

A falta de flexibilidade do modelo convencional de agenda pode desmotivar concurseiros e estimular a procrastinação do tipo; “ah, só tenho uma hora, não vou estudar agora”.

#2 Montando os blocos

Ao organizar seu ciclo de estudos para Receita Federal, é você quem define quantas horas deseja que o bloco de uma matéria tenha, bem como quantos blocos uma matéria vai ter ao longo do ciclo.

Cada bloco pode ter duração mínima, por exemplo, de 30 minutos, e máxima de 2h30min, dependendo de vários fatores.

Também é você que organiza a ordem das matérias, por exemplo, Raciocínio Lógico, Português, Contabilidade, Direito Tributário …

Indicamos que alterne matérias de conteúdo teórico, como Direito, com disciplinas de raciocínio lógico e matemática.

Outra dica especial: separe um tempo maior para as disciplinas com as quais tiver mais dificuldade! Você também pode optar por ter mais blocos desses conteúdos.

A imagem abaixo representa um exemplo de um Ciclo de Estudo de 24 horas:

Ciclo de estudos receita federal

Um mesmo ciclo deverá ser reutilizado diversas vezes. Conforme você avança de bloco em bloco e conclui um ciclo, você começa ele novamente (por isso o nome “ciclo” de estudo).

Caso já tenha estudado o seu ciclo por um tempo suficiente e sinta a necessidade de se dedicar mais a uma ou outra matéria, por exemplo, pode reorganiza-lo a seu favor e criar um novo ciclo.

Novamente, se sentir dificuldade para montar seu ciclo de estudo para Receita Federal de maneira perfeita e pessoal, pode contar com a ajuda do app EstudAqui, que organiza os blocos e o ciclo, automaticamente, para você, e ainda te dá inúmeras outras vantagens, veja mais detalhes no site.

#3 Selecione as matérias de cada fase de estudo

Parte da estratégia de como passar em concurso público é saber priorizar e organizar as matérias para estudar para concurso, de acordo com:

  • a sua facilidade em cada conteúdo;
  • o volume de informações;
  • o peso que cada disciplina tem para a sua nota.

A ideia geral é que você:

  • dedique mais tempo às disciplinas com as quais tem menos intimidade;
  • priorize conteúdos mais volumosos e com maior peso;
  • se concentre em identificar se uma determinada matéria deve ser estudada antes de outra, para facilitar a compreensão do conteúdo geral.

Se você não tem certeza de todas essas informações acima, não se preocupe, o EstudAqui te fornece isso tudo e muito mais, inclusive estatísticas históricas do que mais caiu em provas passadas do seu concurso.

Falamos bastante sobre a ordem correta de estudo das disciplinas no artigo Plano de estudo para Auditor Fiscal da Receita Federal”. Sugerimos que confira!.

#4 Mantenha o Ciclo de Estudos atualizado

Nós já citamos acima, mas é importante reforçar, afinal, esse é um passo crucial do plano de estudo para a sua aprovação.

Atualizar seu ciclo é importante depois de ter dado “algumas voltas” por ele.

Com o tempo você vai absorvendo melhor alguns conteúdos e pode diminuir o tempo investido neles. Algumas matérias também vão terminando e só precisam de revisão.

Quando isso começar a acontecer, sugerimos que revise o seu ciclo de estudos da Receita Federal, aumentando ou diminuindo o tempo investido em cada disciplina.

Como falamos anteriormente, um ciclo de estudos para Receita Federal auxilia no aumento da produtividade do seu estudo e aproveita cada período que você tem durante as suas semanas.

Além disso, a conclusão de blocos e ciclos estimula o concurseiro e faze você sentir que está avançando.

Se você ainda ficou com alguma dúvida, deixe um comentário aqui no artigo. Será um prazer te ajudar. Se preferir, leia também nosso artigo Como fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz: 5 passos”.

Como indicamos acima, você pode economizar ainda mais tempo e otimizar seus horários de estudo com o aplicativo EstudAqui. Nós montamos seu ciclo personalizado, de maneira rápida e automática, com apenas algumas informações disponibilizadas por você, afinal, seu plano de estudo tem que ser pessoal e perfeito para VOCÊ, não pode ser genérico.

Acesse nossa plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui.

Não consigo memorizar o que eu estudo: entenda o porquê e aprenda soluções

“Não consigo memorizar o que eu estudo!”

Muitos estudantes em diferentes momentos da vida dizem essa frase, principalmente quando estão estudando um volume grande de matérias como no casos dos concursos públicos

De tempos em tempos, a ciência descobre coisas novas sobre o cérebro e memória. Mas um fato é que muitas pessoas lutam para lembrar das coisas e usam várias maneiras diferentes para isso. 

Você está sempre esquecendo parte do que estuda? Continue lendo e entenda o que realmente acontece no cérebro e algumas dicas para você tornar a frase “não consigo memorizar o que eu estudo” cada vez mais rara na sua rotina de estudo.

Motivos que fazem a nossa memória ser ruim

A memória de cada pessoa é diferente. Nenhum ser humano tem uma memória perfeita. De fato, mesmo quem acha que sua memória é perfeita, as chances são de que ela não seja. 

Então a reclamação “não consigo memorizar o que eu estudo” é muito mais comum do que as pessoas imaginam.

Para entender o porquê dessa diferença, precisamos, primeiro, saber como nos lembramos das coisas.

Como funciona a memória

A memória humana é complicada. Por exemplo, pense como você se lembra de imagens visuais. Parece simples, você vê alguma coisa e lembra dela. Mas, como a Scientific American aponta, é muito mais complexo que isso:

Memórias de imagens, visuais, (por exemplo, pratos de jantar) são armazenadas no que é chamado de memória visual

Nossas mentes usam a memória visual para executar até mesmo o mais simples dos cálculos; também para lembrar o rosto de alguém que acabamos de conhecer, lembrar que horas foi a última vez que olhamos as horas etc.

Memórias como a comida do jantar são armazenadas na memória visual de curto prazo — particularmente, em um tipo de memória de curto prazo, muitas vezes chamada de “memória de trabalho visual”. 

A memória visual é onde imagens visuais são temporariamente armazenadas enquanto sua mente trabalha outras tarefas — como um quadro branco no qual as coisas são escritas e depois apagadas.

Então, por que não consigo memorizar o que eu estudo? O que faz com que essas memórias permaneçam e não sejam apagadas do quadro branco? 

De acordo com um estudo do MIT, a diferença entre manter ou apagar uma memória pode ser simplesmente se uma imagem é significativa e se podemos relacioná-la a outro conhecimento. 

Se você puder conectar uma imagem a outra coisa, isso aumentará muito as chances de você se lembrar mais tarde. 

Aprender e memorizar estão muito relacionados ao contexto do aprendizado. É por isso que, como aponta o The Atlantic, o reconhecimento de padrões é fundamental para uma boa memorização. 

Essencialmente, quanto mais conexões uma nova memória tiver no cérebro, mais provável será que você se lembre dessa informação. O mesmo processo básico acontece com a maioria das memórias.

Sob a superfície, estão acontecendo todos os tipos de coisas no cérebro. O site How Stuff Works explica isso muito bem:

Os especialistas acreditam que o hipocampo, juntamente com outra parte do cérebro chamada córtex frontal, é responsável por analisar as entradas sensoriais e decidir se vale a pena guardar uma lembrança. 

Se sim, elas podem se tornar parte da memória de longo prazo. Os pedaços de informação são então armazenados em diferentes partes do cérebro. 

Como esses pedaços são identificados e recuperados posteriormente para formar uma memória coesa, no entanto, ainda não é algo conhecido.

Para codificar corretamente uma memória, primeiro é necessário prestar atenção. Como não podemos prestar atenção em tudo o tempo todo, a maior parte do que vemos todo dia é filtrada e apenas alguns estímulos passam pela percepção consciente.

O que se sabe é que como prestamos atenção à informação pode ser o fator mais importante em relação a quanto realmente memorizamos.

O fato é que a ciência ainda está aprendendo sobre a memória humana. Por que nos lembramos de certos detalhes e de outros não ainda é um mistério. 

Mas é fato que quanto mais conexões criamos em volta de algo, maior as chances de memorizar aquilo.

A memória falhar é normal

Todos nós temos momentos em que nos esquecemos de um detalhe ou até mesmo os relembramos completamente diferentes da realidade. A razão é bem simples: nossa memória nem sempre é confiável.

Memórias são alteradas por todos os tipos de coisas e a nostalgia tem um papel importante na forma como nos lembramos. De acordo com a revista Scientific American, é surpreendentemente fácil injetar falsas memórias nas pessoas. 

O mais chocante, porém, é a frequência com que estamos errados sobre os detalhes que nos “lembramos”. 

Por exemplo, o depoimento de testemunhas oculares é notoriamente pouco confiável após um trauma, e, como a The Smithsonian Magazine aponta, a memória dos principais eventos de nossas vidas é consistentemente imprecisa:

A maioria das pessoas tem as chamadas “memórias de flash” de onde estavam, e o que estavam fazendo, quando aconteceu algo importante como o atentado de 11 de setembro e a conquista do Penta Mundial do Brasil no futebol. 

Mas, por mais claras e detalhadas que essas memórias nos pareçam, os psicólogos e pesquisadores quase sempre descobrem que são surpreendentemente imprecisas.

Não são apenas eventos traumáticos que fazem com que nossas memórias falhem. Um estudo no Journal of the Association for Psychological Science aponta que a própria recordação das lembranças aumenta as distorções delas ao longo do tempo. 

Ou seja, quando você se lembra de algo, na verdade está mudando ativamente aquela lembrança. Interessante né?

Em parte, isso tem muito a ver com uma ampla variedade de vieses de memória que “colorem” as maneiras pelas quais nos lembramos de algo. 

Do efeito de positividade, onde tendemos a lembrar o positivo em detrimento do negativo, ao viés egocêntrico, em que nos lembramos de sermos melhores do que somos. 

Estamos constantemente mudando as lembranças de uma maneira que beneficie a maneira como nos vemos. Ou seja, confiar na própria memória nem sempre é a melhor saída.

Por exemplo, um estudo publicado no Journal of Experimental Psychology mostrou que tendemos a pensar que nos lembraremos de algo importante mais do que realmente lembraremos. 

Alguma vez você deixou de escrever uma ideia brilhante porque ela era tão boa que você achou que nunca a esqueceria? 

O resultado disso muitas vezes é que você a esquece rapidinho. Isso acontece na melhores famílias, e é porque somos excessivamente confiantes em nossa capacidade de lembrar.

Felizmente, como na maioria de nossos preconceitos, a melhor maneira de realmente contra-atacar um ponto fraco é saber que ele existe. 

Saber que sua memória não é perfeita significa que você prestará mais atenção a essas imperfeições no futuro.

O que fazer para melhorar a memorização

Quer riscar a frase “Não consigo memorizar o que eu estudo” da sua vida? Melhorar a memória é possível, apesar de todos esses desafios que descrevemos.

De fato, embora existam algumas técnicas comprovadas para ajudar a reter informações, melhorar a memória depende tanto do estilo de vida quanto de qualquer outra coisa. Aqui vão algumas dicas:

Tenha uma rotina de exercícios físicos regulares

Vários estudos comprovaram que a atividade física afeta o cérebro de várias maneiras positivas, e uma delas é o estímulo à memória.

Um artigo do jornal americano New York Times explica algumas conclusões a que as pesquisas chegaram sobre esse assunto:

“O que toda essa nova pesquisa sugere é que para ter uma saúde cerebral mais robusta, é aconselhável incorporar treinamento aeróbico e de resistência. Parece que cada tipo de exercício visa seletivamente diferentes aspectos da cognição. Provavelmente, provocando a liberação de diferentes proteínas no corpo e no cérebro”, explica Teresa Liu-Ambrose, professora associada do Centro de Pesquisa do Cérebro da Universidade da Colúmbia Britânica.

Essencialmente, o exercício melhora as funções cognitivas e, quando isso acontece, aumenta o armazenamento e a recuperação da memória. 

Basicamente, quanto melhor for o seu hábito de se exercitar, melhores serão as chances de se lembrar de algo.

Valorize suas noites de sono

O sono desempenha um papel importante na memória e as pesquisas nesse campo de estudo são frequentes.

Outro artigo da The New York Times explicou a importância do sono para conseguir memorizar o que você estuda.

Segundo a matéria, noites de sono ruim afetam processos mentais como aprendizado, memória, julgamento e solução de problemas.

Enquanto dormimos, novos caminhos de aprendizado e memória são codificados no cérebro, e é necessário sono adequado para que eles funcionem da melhor maneira possível. 

Pessoas bem descansadas são mais capazes de aprender uma tarefa e mais propensas a se lembrar do que aprenderam. 

O declínio cognitivo que muitas vezes acompanha o envelhecimento pode resultar em parte do sono cronicamente ruim ao longo da vida.

Utilize técnicas de memorização

Nossa memória não é perfeita, certamente, mas você pode ter o melhor desempenho possível que ela é capaz de atingir. Basta estimulá-la constantemente com algumas técnicas durante seus estudos.

Alguns exemplos de técnicas de memorização são:

Mapa mental: é a associação de informações que permite criar um desenho visual com as palavras chave a cerca de um conceito. Os mapas mentais são muito úteis para estudar matérias teóricas com muitos nomes e datas.

Estudo mnemônico: lembra quando você aprendeu na escola a ordem dos planetas do sistema solar? “Minha Velha Traga Meu Jantar: Sopa, Uva, Nozes, Pão”. Essa é uma estratégia mnemônica que consiste em criar frases ou siglas para memorizar conceitos. Uma estratégia útil para guardar a que se refere uma lei do Código Penal, por exemplo.

Associações visuais: associe as informações de estudo a uma imagem visual para conseguir memorizá-la e se lembrar facilmente depois. Conecte a informação a um atributo físico, por exemplo, que seja familiar ao contexto para criar as associações.

Memorize através de exercícios: para a parte teórica você tem o mapa mental, mas e para guardar fórmulas matemáticas? Fazer exercícios é a melhor maneira de memorizá-las. Isso porque colocando a fórmula em prática você reforça o entendimento dela e aprende a retirar os dados de texto para chegar na resposta.

Planeje revisões: essa não é exatamente uma técnica, mas a revisão das matérias ajuda a repetir o aprendizado dos conceitos e essa é uma ferramenta antiga, mas muito efetiva, para estimular a memória. 

Aprenda formas modernas de criar seu plano de estudo e de estudar diariamente

A tecnologia tem revolucionado muitas áreas nos últimos anos, mas pouca gente a utiliza de forma correta para melhorar o desempenho nos estudos.

O EstudAqui, por exemplo, foi criado especialmente pra isso, e pode ser a solução que você precisava para montar um plano de estudos eficiente, personalizado e que atenda às suas necessidades.

Com ele você sabe como, quando e o que estudar, e o aplicativo também possui a funcionalidade de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo de estudo.

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga memorizar o que estudou!

Acesse a plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

8 dicas de como se organizar para estudar para concursos

Você se pega procrastinando muito quando tenta estudar? Você consegue acompanhar a quantidade de matérias com o seu cronograma de estudo atual? Se a sua resposta foi um sim e um não, você precisa ler nossas dicas de como se organizar para estudar para concursos.

A flexibilidade de estudar em casa liberta-o das limitações de uma sala de aula física e permite programar o tempo de estudo em torno dos compromissos profissionais e familiares. Mas toda essa conveniência e flexibilidade te deixa com excesso de opções para quando e onde estudar.

Veja algumas dicas de como se organizar para estudar para concursos que reunimos para você criar um espaço de estudo que irá motivá-lo e ajudar a aumentar sua produtividade.

Dicas de como se organizar para estudar para concursos

#1. Escolha um espaço que você associa ao aprendizado

Se um espaço de estudo em potencial já estiver associado a outras atividades como comer, assistir televisão ou dormir, provavelmente não é o ideal.

Então nossa primeira dica de como se organizar para estudar para concursos é: selecione uma área que você já associa à aprendizagem, e quanto mais tempo você se dedicar, mais forte será a associação. Eventualmente, você se sentirá mais focado assim que entrar no espaço.

#2. Elimine a desordem

A limpeza do seu espaço de estudo é uma dica de organização de estudo básica e vital para a produtividade.

Certifique-se de que sua área de estudo esteja livre de materiais desnecessários, como papéis, lixo e garrafas de água vazias.

Um espaço de estudo organizado terá um impacto positivo na sua aprendizagem e vai melhorar sua capacidade de concentração.

#3. Certifique-se de que seu espaço é confortável

Ao garantir que seu espaço de estudo seja confortável, uma das coisas mais importantes a ter em mente é a ergonomia.

Tanto a mesa de estudo quanto a cadeira deve permitir uma boa postura e, quando você estiver sentado, a parte de cima da mesa deve ficar na altura entre o peito e a caixa torácica.

Dessa forma, você poderá descansar os cotovelos na área de trabalho sem ter que empurrar os ombros para a frente. Além disso, a cadeira deve ser confortável, bem ajustada à altura da mesa e permitir que os pés fiquem apoiados no chão.

#4. Organize seus materiais

Os materiais do seu concurso devem estar facilmente acessíveis sempre que você precisar deles.

Se você preferir trabalhar com cópias impressas, pode investir em um sistema de arquivamento físico, mas os alunos que estudam online também têm a opção de aproveitar a facilidade e a flexibilidade de trabalhar digitalmente.

Organize os arquivos do seu computador em pastas e use nomes descritivos para facilitar a identificação.

#5. Elimine as distrações

Nossa quinta dica de como se organizar para estudar para concursos é livrar-se de qualquer coisa dentro do seu espaço de estudo que possa causar uma distração desnecessária, especialmente a desordem.

Antes de se sentar para começar a estudar, limpe sua mesa e verifique se tudo está em seu devido lugar.

Guarde o telefone ou, se precisar usá-lo como ferramenta de estudo, ative o modo avião ou silencie as notificações.

Você também pode querer tocar alguma música de fundo para bloquear qualquer ruído externo ou outras distrações. Uma ótima estratégia para manter o foco! Um fone de ouvido com um bom cancelamento de ruídos também pode ajudar, mas pra isso, prepare o bolso, pois um fone desses não sai barato.

#6. Reúna seus materiais de estudo

Para evitar muito movimento ao estudar, tenha todos os seus materiais à mão. Se você não tiver espaço suficiente na área da mesa, use uma prateleira próxima à sua mesa ou coloque tudo em uma gaveta.

Uma vez que você já criou um sistema de organização para seus materiais (vide item 4), saiba que ter tudo à mão é outra dica de organização de estudo certeira.

Assim, você pode pensar em um livro e, rapidamente, encontrá-lo para pesquisar a referência que precisa. Ou seja, nada de distrações tentando achar uma informação e acabar perdendo tempo de estudo.

#7. Organize seu tempo

Quando você se inscreve em um concurso, é vital se familiarizar com o plano de estudos, as matérias do edital e as datas da prova (se já houver uma data) para evitar surpresas desagradáveis.

Pendure um calendário na parede do seu espaço de estudo e preencha-o assim que montar seu plano de estudos. Como alternativa, use um calendário online e defina alertas.

Organizar sua agenda não apenas facilitará seus estudos, mas também ajudará você a reservar um tempo para os outros elementos de sua vida.

Criar um espaço de estudo funcional é fundamental para o seu sucesso como concurseiro.

#8. Use cores na sua organização

Não há razão para que suas anotações sejam monocromáticas e sem vida. Tenha marcadores em cores diferentes ou altere a cor da fonte do seu laptop para que você possa codificar em cores o seu livro e suas anotações para corresponder a um sistema que você criou.

Muitas pessoas gostam de destacar as diferentes partes de cada caso (problema, regra, análise, retenção, etc.) para facilitar o encaminhamento de referências nas pesquisas, mas você também pode codificar em cores as suas anotações ou o conteúdo comum do livro, para criar as regras, exceções e exemplos de casos que se destacam um do outro.

O código de cores também pode ajudá-lo a melhorar sua estrutura de escrita ao redigir respostas discursivas ou redações, por exemplo, destacando cada parte da discursiva ou da redação (Introdução, Problema, Regra, Aplicação e Conclusão) com uma cor diferente.

Se você olhar suas respostas e estiver sentindo falta de uma cor, ou se suas cores estiverem fora de ordem, você saberá que precisa se concentrar em melhorar sua estrutura de escrita e organização.

Criatividade e desenvoltura são muitas vezes habilidades negligenciadas na hora de se organizar para estudar para concursos. Possuir esses atributos pode realmente ajudá-lo, então comece a estimular sua criatividade!

Usar técnicas criativas de organização e estudo não apenas torna sua vida mais simples, mas também pode torná-lo mais bem-sucedido.

Dica extra: Faça seu tempo valer a pena!

A pior coisa possível para quem estuda é desperdiçar tempo fazendo coisas que poderiam ser feitas de maneira mais rápida e fácil.

Duas das coisas que mais consomem tempo de um estudante são: fazer um plano de estudos otimizado e controlar o estudo de maneira correta. Agora imagine se com apenas um clique você pudesse selecionar a prova que você vai fazer e organizar toda a sua rotina de estudos rapidamente no modelo de ciclo de estudos.

Finalmente! Agora você consegue fazer isso tudo automaticamente, e considerando a sua facilidade e dificuldade PESSOAL em cada disciplina.

Nossa dica final de como se organizar para estudar para concursos é o Estudaqui. O

aplicativo pode ser a solução que você precisava para montar um plano de estudos eficiente, personalizado e que atenda às suas necessidades.

O app também possui funcionalidades de controle para que você possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo, além de diversas estatísticas e dicas de melhoria de desempenho.

E a prova de que o método é realmente eficiente é que tecnologia do Estudaqui foi aprovada pelo guru dos estudos Alexandre Meirelles e validada no Vale do Silício, nos EUA, um dos maiores centros de tecnologia e inovação do mundo.

Acesse a plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui. Você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo. Faça seu tempo valer a pena!

Experimente estas táticas e deixe-nos saber nos comentários quais delas te ajudaram mais!

Por que não consigo passar em um concurso público: 10 razões que interferem no seu desempenho

Por que não consigo passar em um concurso público?

Muitos concurseiros se veem na posição de se dedicar muito, mas ainda assim não conseguem alcançar os resultados desejados. E não se espante, pois infelizmente muitas pessoas passam por isso. 

Ainda mais na vida de estudante de concurso, onde muitas vezes ser bem-sucedido parece quase impossível. A sensação é a de que o trabalho duro não se paga e o resultado obtido não é proporcional ao esforço dedicado. 

Mas quais são as razões pelas quais até mesmo os mais sinceros esforços resultam em desapontamento? 

Continue lendo para descobrir as 10 principais razões que podem responder à questão: por que não consigo passar em um concurso público, apesar de estudar muito?

Por que não consigo passar em concurso público?

10. Dificuldade em reter o assunto

Cada pessoa é diferente em relação ao aprendizado. Existem aquelas que precisam de menos tempo para entender e reter um assunto. 

No entanto, há também aquelas que, apesar de se esforçarem muito, acham difícil lembrar tudo o que estudou na hora da prova. 

Na verdade, essa é uma das razões mais comuns de porque muitos candidatos não conseguem passar em um concurso público, mesmo se dedicando muito nos estudos.

Teste se você consegue reter os conhecimentos das matérias fazendo exercícios e provas antigas. Principalmente em relação às matérias que são novas para você ou que não são o seu forte. 

Até as que parecem “fáceis” precisam de atenção, pois você não pode deixar de estudá-las achando que sabe o conteúdo. 

Encaixe os exercícios regularmente entre os estudos teóricos para testar o que você realmente aprendeu, e saber o que ainda precisa de mais reforço em uma nova sessão de estudo. 

9. Problemas em casa

A vida pessoal também traz muitos desafios para a vida de qualquer pessoa e pode interferir em diferentes momentos no alcance de objetivos. 

Muitos estudantes de concurso público trabalham fora, têm família, filhos e todas as obrigações que envolvem um lar para lidar.

A instabilidade emocional em torno deles muitas vezes tem um impacto direto em seu bem-estar, em termos de saúde psicológica. 

Então, mesmo que você esteja trabalhando duro tentando fechar os olhos para tudo o que está perturbado ao seu redor; sua mente subconsciente pode dificultar os resultados desejados.

Neste caso, a solução é bastante pessoal, e vale a pena buscar ajuda caso sinta que não consegue lidar sozinho com determinadas situações. 

Assim, você trabalha para se estruturar melhor emocionalmente e tentar o concurso que você deseja mais preparado.

8. Ansiedade da prova

Às vezes, quando chega o momento da verdade, os candidatos congelam por medo ou ansiedade. Sim, a ansiedade do teste é muito comum nos concurseiros. 

Nervosismo, náusea ou apenas desconforto podem tomar conta no momento que você entra na sala da prova. 

Naquele momento, o trabalho duro não vem ao seu socorro e as coisas acabam indo pelo ralo. 

Em tais casos, talvez uma consulta psicológica para lidar com tais medos possa lhe fazer bem, caso contrário, seus sonhos e aspirações podem continuar não se traduzindo em resultados. 

O conhecimento dos sintomas da ansiedade também pode te ajudar muito. 

7. Técnicas de estudo

Às vezes, a técnica errada de estudo pode resultar diretamente em um desempenho desfavorável. Muitas pessoas que estudam muito e de tudo desde cedo, acham cada vez mais difícil obter boas notas com o passar dos anos. 

Na fase inicial da vida estudantil, esses superestímulos podem ser válidos para desenvolver a vontade de aprender, porém, com o tempo é necessário ser flexível, e pressionar-se para estudar além do que você consegue é inútil. 

Com o aumento da complexidade dos materiais, dependendo do concurso, a compreensão dos conceitos torna-se necessária para um bom desempenho. Muito mais do que se “matar” de estudar por horas a fio.

Mas, muitas vezes, deixar os maus hábito torna-se muito difícil, levando a constantes decepções.

Veja algumas dicas para melhorar seu método do estudo no vídeo abaixo:

6. Concurso errado

Às vezes, os candidatos se forçam a fazer um determinado concurso por pressão própria, da família, pela influência de amigos ou por ambicionar um alto salário. 

Qualquer que seja a razão, se você não tem aptidão para um determinado trabalho, terá mais dificuldade naquele assunto, e terá que se esforçar muito mais para aprendê-lo. 

A escolha cuidadosa do concurso que você vai prestar é essencial para garantir que o trabalho duro seja recompensado.

Pense na satisfação profissional que ganhar uma vaga vai te trazer e não apenas na recompensa material ou no prestígio que você vai ganhar se passar. 

Alinhe sua mente com os objetivos certos e escolha as melhores oportunidades para si.

5. Baixa autoconfiança

Você pode fazer todos os preparativos e folhear todas as páginas de cada livro, mas sem confiança a teoria não vale nada. 

A construção de confiança é muito importante para dar a um candidato a crença de que ele pode passar por qualquer prova em sua vida. 

Pode ser medo do assunto ou apenas falta de fé em suas próprias habilidades, isso afeta muito o resultado das provas.

Diante de objetivos desafiadores, você deve se preparar intelectualmente e psicologicamente para equilibrar a pressão e não perder de vista seu potencial de realização.

4. Má escrita e habilidades de apresentação

Algumas provas de concurso incluem questões discursivas, em que todas as perguntas precisam ser respondidas com cuidado. 

Com certeza, você já teve um amigo ou conheceu alguém muito inteligente, trabalhador e esforçado, mas que devido às suas habilidades de escrita, caligrafia e apresentação ruins, falhou na obtenção de boas notas em uma prova importante. 

O que um candidato coloca nas respostas é muito importante para traduzir o conhecimento nas provas e conquistar os resultados esperados.

3. Não se preparar bem nas matérias mais importantes

Os candidatos muitas vezes deixam de fora algumas matérias de seus planos de estudos, seja devido à falta de tempo antes dos exames, seja apenas por uma intuição do que é mais provável que apareça na prova. 

Mas isso não significa que eles não trabalharam duro nos estudos. Eles podem estudar centenas de outros tópicos, mas, por azar, apenas os que deixam de fora podem vir a cair na prova. 

Ou seja, estudos seletivos podem resultar em fracasso. Por isso, você deve organizar as matérias para estudar para um concurso com muita atenção e não deixar nenhuma de fora. 

2. Técnicas de revisão inadequadas

A revisão antes das provas é muito importante. É essencial ter uma estratégia de revisão adequada e bem pensada. 

Conseguir passar por todos as matérias ao longo dos meses de estudo é vital para uma boa preparação. 

Nunca é uma boa ideia estudar algo pela primeira vez logo antes das provas, pois pode haver muito para reter em pouco tempo, o que eleva o grau de ansiedade. Fique atento!

Uma técnica de revisão aleatória, não importa o quão elaborada, também pode resultar em resultados ruins nos exames.

Encaixe a revisão no seu ciclo de estudos para que periodicamente você repasse os conhecimento estudados e veja se realmente fixou o conteúdo. 

1. Ficar preso em uma questão 

Às vezes, um candidato pode estar preparado para resolver todas as questões que aparecem na prova, mas, de repente, acaba derrotado por uma única questão.

É nessas questões que muitos concurseiros ficam presos, até que seja tarde demais tentar partir para o restante da prova. 

Então, uma única pergunta, se você não mede o tempo gasto nela e parte logo para a próxima, pode dificultar as perspectivas de bons resultados para a prova toda.

Desde o vestibular ouvimos essa dica, mas nosso cérebro é teimoso e precisa sempre desse lembrete: se você “empacar” em uma questão, continue a prova e volte nela apenas no final, se sobrar tempo. Não gaste todo tempo em um único ponto da prova. 

À medida que você acerta outras questões terá também mais confiança e calma para resolver uma ou duas questões mais difíceis que ficaram para trás. 

Complete sua leitura e aprenda como montar um cronograma de estudos para concurso em 10 passos neste post do nosso blog.

“Eu consigo estudar para concurso público!”

“Porque não consigo passar em concurso público?” não será mais uma questão. Agora que você já sabe o que pode limitar seu desempenho, faça uma autoanálise e busque maneiras de driblá-las.

Uma das soluções é criar uma estratégia de estudo bem elaborada, com tempo para estudar toda a matéria e ainda revisar os pontos principais.

Para te ajudar a fazer essa organização, conheça o aplicativo do EstudAqui que foi desenvolvido a partir da opinião de milhares de estudantes e focado em oferecer a melhor experiência para o usuário.

No aplicativo, você escolhe o concurso, indica quais são as matérias que quer estudar e o sistema cria um plano de estudo perfeito, baseado em suas facilidades e dificuldades pessoais em cada matéria. 

E ele ainda faz muito mais por você, é a tecnologia a favor da educação. Conheça agora como funciona e saiba mais detalhes!

7 dicas para focar nos estudos e se dar bem no próximo concurso

Organizar as demandas da semana, fazer breves intervalos, colocar música de fundo, tomar um café. Essas, e outras, dicas para focar nos estudos são muito importantes para você, concurseiro ou estudante, que está nos lendo neste momento.

Com tanta informação ao nosso redor, com os chamados do Whatsapp, as novidades do Instagram, a preocupação da família, a pergunta que fica é: como se concentrar na pilha de material para estudar?

Neste artigo, vamos listar algumas dicas para focar nos estudos e conseguir aumentar a produtividade e, com isso, alcançar melhores resultados em suas provas.

Um ser humano comum tem 8 segundos de atenção – menos do que um peixinho dourado, de acordo com um estudo de 2015 da Microsoft. Esse número encolheu ao longo dos anos devido à nossa conexão digital e ao fato de que o cérebro está sempre buscando o que é novo e o que é o próximo.

Então, o que você faz quando precisa se concentrar no trabalho ou no estudo por mais de 8 segundos?

Alguns estudos recentes acreditam que a concentração é como um “músculo” que pode ser treinado.

Muitas pessoas tomam como verdade a ideia de que não são focadas, e isso se torna uma profecia auto-realizável. Depois de abandonar essa crença equivocada, você pode adotar uma abordagem muito mais realista para desenvolver seu foco.

Com uma combinação de bons hábitos, e algumas ferramentas, é possível configurar um ambiente que promova o foco. Aqui estão 7 dicas para:

  • focar nos estudos;
  • eliminar distrações;
  • prestar real atenção ao que você precisa fazer.

Leia também: 13 aplicativos para organizar estudo e gerenciar seu tempo.

7 dicas para focar nos estudos e aumentar sua produtividade

1. Prepare o seu cérebro

Antes de começar a estudar, acalme seu cérebro.

Reserve um ou 2 minutos para se sentar em uma posição confortável e respirar profundamente.

Você não precisa se sentar de pernas cruzadas ou fazer barulhos típicos de meditação.

Você só precisa deixar seu corpo se acalmar antes de começar a estudar. Você vai descobrir que isso realmente ajuda você a se concentrar.

2. Organize suas demandas da semana, dia e mês

Nós sabemos que o foco de qualquer concurseiro é estudar, mas a vida lá fora não para.

Preocupações gerais como organização financeira, saúde, eventos de pessoas importantes, são exemplos de assuntos que podem tomar conta de nossos pensamentos.

O foco também envolve uma compreensão do que é digno de sua distração. É preciso que você tenha tempo para se dedicar a essas questões. Para fazer isso sem ter prejuízo em seu plano de estudo, você precisa se organizar.

Dica prática: no domingo, pegue sua agenda e organize o que precisa ser feito, tanto de estudo como da sua vida pessoal ou trabalho, durante aquela semana. Distribua tudo em seus dias e visualize a forma mais eficiente de cumprir todos os seus compromissos.

Deixar um problema martelando na sua cabeça sem resolvê-lo é a forma mais fácil de se distrair e perder o foco VÁRIAS vezes ao dia.

Identifique o que merece seu foco no ano, no mês, na semana e no dia. Então olhe para o seu calendário e dedique um bloco de tempo à sua realização.

Para organizar seu tempo em blocos e cumprir tudo de maneira mais eficiente, sem atrapalhar seu planejamento, recomendamos você a adotar o método de ciclo de estudo. Quer saber mais sobre ele? Leia o artigo “Como fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz: 5 passos”.

3. Desconecte-se

Talvez uma das mais valiosas dicas para focar nos estudos seja essa. Se você precisa se concentrar, saia de e-mail e mídia social. E coloque seu telefone no modo “não perturbe” para bloquear distrações. O modo “não perturbe” está disponível tanto para android quanto para IOS.

Não se engane!

4. Tome algum café durante o dia

Seja de manhã ou à tarde, um estudo publicado no Journal of Alzheimer’s Disease, identificou uma conexão entre cafeína e cognição.

Embora a cafeína não melhore o desempenho da aprendizagem ou da memória, o estudo identifica que ela, usada moderadamente, aumenta a excitação fisiológica, o que torna você menos apto a se distrair e ter maior capacidade de prestar atenção durante uma tarefa exigente.

5. Ligue alguma música

Uma das dicas para focar nos estudos mais inusitadas – e inesperadas.

Muito ruído pode ser muito perturbador, mas, de acordo com um estudo da Escola de Medicina Wake Forest e da Universidade da Carolina do Norte publicado na Scientific Reports, ter música tocando ajuda você a se concentrar em seus próprios pensamentos.

O pulo do gato é que você precisa gostar da música! Se você não está acostumado a ouvir música, não tente essa técnica, ou então comece aos poucos e vá testando para saber se você irá se acostumar com ela ou não.

Seja Beethoven, os Beatles ou Maiara e Maraísa, aumente o volume e comece a estudar.

6. Faça breves intervalos

Em vez de sucumbir à distração, construa-a, sugere um estudo da Universidade de Illinois, EUA. Segundo a pesquisa, fazer pausas curtas durante uma tarefa que tenha em média 50 minutos de duração, aumenta o desempenho do estudante, em relação àqueles que não param e trabalham direto até a exaustão.

O estudo examina um fenômeno chamado “decréscimo de vigilância”, ou perda de foco ao longo do tempo. Fazer uma pequena pausa no meio de uma longa tarefa reenergiza o cérebro.

Resumindo, breves pausas mentais irão ajudá-lo a manter o foco em sua tarefa.

7. Faça um cronograma de estudo

Não tem como fugir. Um artigo com dicas para focar nos estudos não pode deixar de falar da importância de um cronograma.

Nós já falamos acima que, nossa indicação de como organizar as matérias para estudar para concurso é o método de Ciclo de Estudo.

Ele é construído em blocos e foge do modelo convencional de agenda, onde você estuda por muitas horas uma mesma matéria e fixa dia e hora para cada conteúdo. Além desses, outros benefícios do método são:

  • o Ciclo de Estudos não engessa sua agenda e se adapta a sua rotina diária, semanal e mensal;
  • você estuda diversas disciplinas em um mesmo dia;
  • aumenta a produtividade, pois aproveita cada pedaço do dia, mesmo que pequeno;
  • te força a estudar conteúdos que você não gosta, mas que são importantes;
  • melhora a frequência de revisão, o que mantém os conteúdos sempre em dia;
  • aumenta a sua motivação, pois, você se sente evoluindo mais rapidamente em seu ciclo, e muito mais.

Mesmo sem dia e hora definidos na semana, é importante definir uma rotina para o estudo.

Seu horário pode incluir o horário que você deve ir para a cama, a hora média em que você deve fazer suas refeições e, o mais importante, o tempo que você deve gastar em estudos.

Dica bônus!

A tecnologia não deve ser vista como vilã! Os aplicativos para estudo são ótimas ferramentas para quem deseja aumentar a produtividade. O app EstudAqui, por exemplo, monta seu ciclo de estudos automaticamente, em 4 passos simples:

  1. Escolha a prova para a qual deseja estudar;
  2. Nós te mostramos todas as matérias que são pedidas no edital;
  3. Você indica suas dificuldades e facilidades pessoais em cada matéria.
  4. Em 1 clique nossa tecnologia criará um ciclo de estudo personalizado e exclusivo para você;

Acesse nossa plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui.

Técnica Pomodoro para estudar: tudo que você precisa saber

Usar a técnica Pomodoro para estudar pode ajudá-lo a driblar distrações, ter mais foco e fazer tarefas em intervalos curtos, enquanto faz pausas frequentes para respirar e relaxar.

E o melhor de tudo: é FÁCIL.

Se você trabalha e estuda, por exemplo, usar a técnica é uma ótima maneira de realizar suas tarefas com mais produtividade.

Nos próximos tópicos vamos fazer um mergulho profundo sobre como funciona a técnica pomodoro para estudar e como começar a usá-la. Continue lendo!

O que é a técnica Pomodoro?

A Técnica Pomodoro foi inventada no início dos anos 90 pelo empreendedor, empresário e escritor Francesco Cirillo.

Cirillo nomeou o sistema “Pomodoro” depois que ele usou um temporizador em forma de tomate para cronometrar seu trabalho como estudante universitário.

A metodologia é simples: ao se deparar com qualquer tarefa grande ou com uma série de tarefas, divida o trabalho em intervalos curtos e cronometrados (chamados “Pomodoros”) que são espaçados por intervalos curtos.

Isso treina seu cérebro para se concentrar por curtos períodos e ajuda você a ficar em dia com os prazos. Com o tempo, pode até ajudar a melhorar a atenção e a concentração.

O Pomodoro é um sistema cíclico. Você trabalha em sprints curtos, o que garante que você seja sempre produtivo. Você também pode fazer pausas regulares que reforcem sua motivação e mantenham a criatividade.

Como funciona a técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro é provavelmente um dos métodos de produtividade mais simples de se implementar. Tudo o que você precisa é de um temporizador. Além disso, não são necessários aplicativos, livros ou ferramentas especiais.

O livro de Cirillo, “The Pomodoro Technique”, é uma leitura útil, mas o próprio Cirillo não esconde o núcleo do método por trás de uma compra. Por isso, você não precisa perder seu tempo lendo o livro, tudo o que há de realmente importante você encontra aqui nesse artigo.

Importante: um Pomodoro é o nome dado a um intervalo de tempo de 25 minutos, portanto, sempre que falarmos de 1 Pomodoro, são 25 minutos, 2 pomodoros são 50 minutos, 3 pomodoros são 75 minutos, e assim por diante.

Veja como começar a aplicar a técnica Pomodoro para estudar em cinco etapas:

  1. Escolha uma tarefa a ser realizada;
  2. Defina o seu marcador de tempo para 25 minutos (1 Pomodoro):
  3. Trabalhe em cada tarefa/estudo por um período de 25 minutos (1 Pomodoro);
  4. Após cada Pomodoro (25 min), faça uma pequena pausa de 5 minutos;
  5. Além disso, a cada 4 Pomodoros completos, faça uma pausa maior (15 a 30 min).
tecnica-pomodoro

Exemplo de um ciclo Pomodoro.

Esse “intervalo mais longo” geralmente é da ordem de 15 a 30 minutos, o que for preciso para você se sentir recarregado e pronto para iniciar outra sessão de trabalho de 25 minutos.

Repita esse processo algumas vezes no decorrer de um dia de estudo, e você realmente se tornará muito produtivo. E ainda terá feito muitos intervalos para pegar uma xícara de café ou encher sua garrafa de água no processo, descansando seu cérebro.

É importante notar que um pomodoro é uma unidade indivisível de trabalho. Isso significa que se você se distrair com um colega, sua família ou uma emergência, você terá que acabar com o pomodoro ali (salvando seu trabalho e iniciando um novo mais tarde).

Ou você terá que adiar a distração até que o pomodoro esteja completo. Se você puder fazer a última opção, Cirillo sugere a estratégia “informar, negociar e ligar de volta”:

  1. Informe a outra parte (distração) que você está estudando no momento;
  2. Negocie um momento em que você possa ligar de volta;
  3. Programe essa tarefa imediatamente;
  4. Ligue para a outra pessoa quando o seu Pomodoro estiver completo e você estiver pronto para resolver o problema.

É claro que nem toda distração é tão simples, e algumas coisas exigem atenção imediata – mas nem toda distração faz isso, tente sempre evitar parar.

Às vezes é perfeitamente correto dizer ao seu colega “Estou no meio de uma coisa agora, mas posso te ligar de volta em… dez minutos?” Fazer isso não apenas mantém você no ritmo, mas também lhe dá controle sobre seu dia de estudo.

Como começar a usar a técnica Pomodoro para estudar

Como um temporizador é a única ferramenta essencial do Pomodoro, você pode começar com qualquer telefone com um aplicativo de timer, um relógio de contagem regressiva ou até mesmo um temporizador daqueles de cozinha em formato de ovo.

O próprio Cirillo prefere um temporizador manual, e diz que dar corda “confirma sua determinação em trabalhar”.

Mesmo assim, destacamos abaixo vários aplicativos focados no método Pomodoro, que oferecem facilmente essa marcação:

Marinara Timer (Web)

É um webapp que você pode manter aberto em uma guia do seu navegador. Você pode selecionar seus alertas de timer para saber quando fazer uma pausa ou reconfigurar os tempos de estudo e os intervalos para atender às suas necessidades. É extremamente flexível e você não precisa instalar nada.

Tomighty (Win/Mac)

É um temporizador Pomodoro que você pode disparar e esquecer, seguindo as regras tradicionais do Pomodoro, ou usar para personalizar seu próprio tempo de estudo e intervalos de descanso.

Eggscellent – antigo Pomodorable (OS X)

É uma combinação do temporizador Pomodoro com um app de tipo ‘to do list’. Ele oferece recursos visuais que marcam suas tarefas concluídas e as que você tem a seguir, e se integra muito bem com o aplicativo Lembretes do OS X.

Além disso, você pode estimar quantos pomodoros precisará para concluir um estudo e acompanhar seu progresso.

Simple Pomodoro (Android)

É um temporizador de código aberto, gratuito, com uma estética minimalista. Toque para iniciar o temporizador e começar a estudar, e faça suas pausas quando o alarme do seu telefone se apagar.

Você não pode fazer muitos ajustes nos períodos de trabalho e descanso, mas recebe notificações de quando fazer as pausas e quando voltar ao trabalho, e pode rever o seu dia para ver quantos Pomodoros você realizou. Ele ainda se integra com o Google Tasks.

Focus Timer (iOS)

Costumava ser chamado de PomodoroPro, e é um temporizador rico em recursos, para iPhone e iPad.

Você pode personalizar o estudo, quebrar as durações, revisar seu histórico de trabalho para ver como seu foco está melhorando, ver quanto tempo resta em sua sessão de estudo, e o aplicativo ainda oferece um sistema de classificação baseado em estrelas para mantê-lo motivado.

Você também pode personalizar os sons e ouvir o relógio quando você bloqueia seu telefone para que continue estudando.

Estas são apenas algumas opções de boas ferramentas para escolher e usar a técnica pomodoro para estudar.

Não hesite em experimentar outros, mas lembre-se: o foco da Técnica Pomodoro está no trabalho, não no temporizador que você usa. Escolha um temporizador simples que não te faça perder tempo. O próprio inventor da técnica usa um temporizador analógico em forma de tomate, parecido com o temporizador de cozinha em forma de ovo.

E não se limite a usar apenas a técnica pomodoro, conheça também outra técnica importantes de estudo, que inclusive podem ser usadas em conjunto com a pomodoro. Encontre a melhor delas no artigo “Como fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz em 5 passos”.

Para quem a técnica Pomodoro funciona melhor?

A Técnica Pomodoro é frequentemente defendida por desenvolvedores, designers e outras pessoas que precisam produzir trabalhos criativos diariamente.

Essencialmente, a técnica Pomodoro pode ser aplicada por qualquer pessoa focada em produzir resultados. E não apenas produzir, mas fazer com qualidade e cada vez melhor.

De engenheiros de software que trabalham no próximo grande videogame até estudantes de concursos concorridos do país, todos podem se beneficiar das sessões de trabalho e pausas temporizadas que a Pomodoro propõe.

Finalmente, é importante lembrar que Pomodoro é um sistema de produtividade – não um par de algemas.

Se você está progredindo e o cronômetro dispara, não há problema em pausar o cronômetro, terminar o que você está fazendo e só depois fazer uma pausa.

O objetivo principal é ajudá-lo a concentrar-se, mas também serve para lembrá-lo de buscar um pouco de ar. Pausas regulares são importantes para sua produtividade.

Além disso, lembre-se de que Pomodoro é apenas um método, e pode ou não funcionar para você. É flexível, mas não tente encaixar seu estudo nele, se não couber. Se você testou e não gostou, procure testar outras técnicas.

Quer uma dica de uma técnica de estudo que já é consagrada e considerada a melhor de todas? E ela é indicada tanto em conjunto com o método pomodoro como separadamente: estou falando do Ciclo de Estudo.

E se você, assim como a grande maioria dos estudantes, acha que dá muito trabalho conseguir fazer um ciclo de estudo da maneira correta, então você está no lugar certo, foi justamente por isso que, a pedido de milhares de estudantes, nós passamos mais de 3 anos desenvolvendo o EstudAqui!

O app Estudaqui te ajuda a ter muito mais foco no seu cronograma de estudos, e o melhor de tudo, ele organizar tudo pra vocês de forma simples e rápida.

Você escolhe o seu concurso, vestibular, ou prova de classe; ou, se quiser estudar sem focar em uma prova específica, indica quais são as matérias que você quer estudar, e nossa tecnologia  cria seu plano de estudo perfeito e personalizado, baseado em suas facilidades e dificuldades pessoais em cada matéria.

E não é só isso, o Estudaqui também te ajuda muito na marcação do estudo e na visualização das suas estatísticas, além de muito mais. Conheça agora como funciona!

Como organizar o tempo de estudo: técnica rápida em 2 etapas

Este guia oferece estratégias de como organizar o tempo de estudo.

A intenção é ajudar você a planejar seu tempo de forma eficaz, te incentivando a ser mais produtivo nos estudos e a manter o controle sobre suas atividades.

Nosso guia de como organizar o tempo de estudo e trabalho é separado em 2 grandes – porém, simples – etapas: planejamento e uso do tempo.

Então vamos direto ao assunto!

#Parte 1: Como organizar o tempo de estudo: planeje-se

O planejamento é uma parte essencial da organização. Envolve prever seus compromissos futuros, seja eles pessoais, de estudo, ou profissionais, e reservar tempo suficiente para atendê-los.

Um planejamento bem-sucedido lhe dá confiança e determinação.

Olhe para o futuro

Um primeiro passo importante é estabelecer:

  • o que você precisa fazer: por exemplo, quais disciplinas deve estudar;
  • quando as coisas precisam ser feitas: estabeleça o “deadline” de comprimento de cada ciclo de estudos;
  • quanto tempo eles podem demorar: período dedicado a cada conteúdo.

O método de ciclo de estudos é um dos mais eficientes quando o assunto é gerenciamento de tempo. Isso porque ele permite que você:

  • defina o número de horas total do ciclo, por exemplo, 20 horas;
  • divida as matérias a serem estudadas em blocos que devem, em geral, girar entre 1h e 2h30 (você pode repetir a matéria dentro de um ciclo, mas nunca em blocos próximos);
  • treine um dos lados do seu cérebro enquanto descansa o outro, utilizando a alternância correta de matérias de raciocínio e memorização.
  • reinicie o ciclo quando terminá-lo.

Com o ciclo de estudo você pode inserir outras atividades em sua rotina sem ter que mexer em todo o seu cronograma, diferentemente do que  acontece no método de estudo tradicional, em que se divide as matérias em dias e horários fixos na semana.

Leia mais em: Como fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz: 5 passos

O único cuidado que deve tomar é colocar um prazo máximo para finalizar um ciclo. Dessa forma você permanece atento aos blocos de estudo e evita a procrastinação.

Tempo de pausa e deadline

Para tomar o controle do seu tempo, você precisará dividi-lo em partes gerenciáveis.

Por mais que o ciclo de estudo seja flexível em relação aos seus horários, você deve se manter firme no intuito de planejar seus dias e semanas para priorizar suas leituras.

Tente as seguintes estratégias para organizar o tempo de estudo:

Planeje sua semana

Seu tempo de estudo durante uma semana será dividido em duas grandes áreas:

  • seu tempo em aula – caso frequente cursinhos ou assista a vídeo-aulas;
  • suas atividades de estudo individuais.

Estabelecer pequenas metas de estudos semanais, como um número de horas do ciclo de estudos que pretende cumprir, vai ajudá-lo a rodar rápido por todos os blocos.

Não tente cumprir suas obrigações de estudo em longas sessões. Ficar muito tempo sem uma pausa pode deixar sua mente cansada e prejudicar a capacidade de absorção do material.

Ao planejar sua semana, lembre-se de equilibrar seus compromissos de longo prazo com os de curto prazo. O gerenciamento eficaz envolve fazer a coisa certa no momento certo.

Planejando um dia

À medida que cada novo dia se aproxima, reveja seu plano semanal para ter certeza de que está atualizado. Faça uma lista de tarefas diárias. Isso ajuda a se concentrar em suas atividades.

Inclua no plano todas as atividades que você precisa realizar, mesmo as que não envolvam seu aprendizado. É dessa forma que se aprende como organizar o tempo de trabalho e estudo:

  • use o seu plano do dia para incluir os espaços que serão dedicados aos estudos. Fique atento ao tamanho dos blocos. Não adianta planejar estudar 1 bloco de 2 horas e 2 de 1 hora, se você só vai conseguir dedicar 3 horas ao estudo nesse dia;
  • considere todas as atividades do dia para realmente alocar seus estudos, de acordo com as demais atividades;
  • seja ativo com o seu plano. Assinale as tarefas concluídas e mantenha uma verificação da atividade incompleta. Tente sempre entender o que deu errado e o que pode ser melhorado.
  • evite sobrecarregar o seu plano do dia – apenas se prepare para completar tarefas realistas.

Definição de prioridades

Entendo que a sua prioridade é sempre estudar para a prova do concurso, mas em alguns dias você precisará ir ao médico ou buscar seu filho na escola.

Encontre uma maneira de colocar várias tarefas em ordem e estabelecer uma lista de prioridades.

Um gráfico como o mostrado abaixo pode ser usado para julgar se algo é uma prioridade ou não.

Como organizar o tempo de estudo

Coloque uma cruz no gráfico para cada tarefa que você precisa concluir. Se for no canto superior direito (Importante / Urgente), é uma prioridade imediata.

Se for no canto inferior esquerdo (Não Urgente / Sem Importância), você deve se perguntar por que você estava pensando em fazer isso ao invés de dedicar esse tempo ao próximo bloco do ciclo de estudo.

Revendo o progresso

É importante revisar continuamente sua estratégia, para garantir que ela esteja atualizada.

Uma observação é importante sobre o ciclo de estudos: como o próprio nome sugere, ele não tem fim. Ao completar todos os blocos em ordem, você deve reiniciá-lo. Em alguns momentos, entretanto, você pode sentir que precisa realizar mudanças na sua estrutura ou mudar de ciclo, conforme a sua nova realidade de conhecimentos.

Por exemplo, se algumas matérias já tiveram seu conteúdo absorvido e não precisam mais de tantos blocos ou de blocos tão extensos, você pode reduzir o tempo dedicado a elas. Mantenha blocos apenas para revisão. Você também pode incluir disciplinas que ainda não estudou.

#Parte 2: Como usar seu tempo de estudo

Agora entramos na parte 2 desse artigo sobre como organizar o tempo de estudo. Depois do planejamento, é finalmente hora de colocar a mão na massa.

Encontre maneiras de motivar sua mente e estimular seus pensamentos ao trabalhar por um período prolongado em seu plano de estudo.

As dicas a seguir mostram maneiras de manter sua mente fresca e ativa enquanto estuda.

Dê início às atividades

Comece uma sessão de trabalho certificando-se de que a tarefa é realizável no tempo definido, para isso:

  • divida uma tarefa que é muito grande em tarefas menores.
  • verifique se você tem domínio sobre o que deve fazer ou estudar (alguns assuntos precisam de um conhecimento prévio sobre um tema similar, garanta ter as informações necessárias para avançar);
  • defina metas claras e atingíveis: isso irá melhorar consideravelmente sua motivação. Nesse estágio você deve definir um ponto final – “Eu vou terminar quando …” – e recompensas claras – “Quando terminar, vou …”.

Se você tiver algumas tarefas de estudo que não gosta de fazer, tente realizá-las no início de uma sessão de estudo. Se esforce para terminá-las o quanto antes para que possa ter a recompensa de atuar em trabalhos mais interessantes. Evite colocar o que você não gosta no fim de sua lista de tarefas – pois ficarão lá para sempre!

Continue, continue!

Evite fazer a mesma coisa por horas a fio. Seu cérebro logo ficará exausto e você deixará de ser produtivo.

Como propõe o método do ciclo de estudo, fique no máximo 2h30 concentrado na mesma disciplina e intercale conteúdo teórico com exercícios, além de intercalar cálculos e raciocínio lógico com matérias que exigem mais memorização (matérias mais teóricas).

Faça uma pausa quando chegar ao final de um capítulo longo ou completar um exercício cansativo.

Aproveite estas oportunidades para se recompensar e reacender o entusiasmo.

Além disso, faça pausas quando e sempre que você precisar. Isso pode acontecer se sua concentração começar a diminuir e você ficar olhando para a tela do computador por muito tempo sem fazer nada.

No entanto, é sempre necessário o equilíbrio: tente evitar distrações e pausas em excesso. Nada de parar para um programa de televisão “interessante” ou uma conversa com amigos. Mantenha sua mente concentrada. Isso é importante se você quiser retomar o trabalho de maneira produtiva e focada.

Uma metodologia que pode te ajudar nesse processo é a Técnica Pomodoro.

Conheça seus próprios limites

Existem muitas razões pelas quais não conseguimos estudar efetivamente. Algumas delas incluem:

  • falta de motivação;
  • pouca concentração;
  • ambiente de trabalho ruidoso.

Tente ser ativo em superar seus obstáculos pessoais. Se você sabe que tenta ignorar tarefas menos interessantes ou difíceis, resolva-as imediatamente antes de iniciar um trabalho mais estimulante.

Concluindo

Depois das dicas de como organizar o tempo de estudo e trabalho, vai ficar mais fácil planejar e conciliar os vários setores da sua vida. Então não se esqueça de:

  • ser claro sobre o que você tem que fazer e quando isso tem que ser feito;
  • usar um sistema que controla e acompanha os estudos e metas para ajudar a avaliar sua produtividade ao longo do tempo – conheça o EstudAqui;
  • criar um planejamento semanal para definir uma agenda clara;
  • acompanhar sua lista de tarefas diárias.

Organizar seu tempo é um processo pessoal. Você precisará encontrar uma maneira de monitorar e planejar suas atividades da forma que melhor lhe convier.

Nossa grande dica final sobre como organizar o tempo de estudo da maneira mais fácil, eficiente e rápida possível é o uso de um aplicativo como o EstudAqui, que monta um plano de estudos eficiente, personalizado e que atende às suas necessidades.

Escolha a prova para a qual deseja estudar e nós te mostramos todas as matérias que são pedidas no edital. Com apenas 1 clique nossa tecnologia criará um ciclo de estudo personalizado e exclusivo para você, considerando as suas dificuldades e facilidades pessoais em cada matéria.

Também possui a funcionalidade de controle do estudo para que possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo.

Acesse nossa plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui. Você pode economizar ainda mais tempo e otimizar seus horários de estudo com o nosso aplicativo.

6 dicas de como ser mais produtivo nos estudos: do ENEM aos concursos

Concurseiros, estudantes que se preparam para o ENEM e profissionais que vão fazer prova de classe: todos gostariam de uma fórmula mágica de como ser mais produtivo nos estudos.

Tem hora que o cansaço bate e que parece que quanto mais horas nos dedicamos, menos conseguimos aprender, não é mesmo?

Calma! Isso acontece com todo mundo.

Existem algumas técnicas que você pode usar para aumentar a produtividade nos estudos, garantir que haja tempo para aprender toda a matéria, e ainda levar uma vida mais equilibrada.

Pensando nisso, selecionamos 6 dicas simples, indicadas por especialistas, para você entender como aumentar a produtividade nos estudos.

Como ser mais produtivo nos estudos com 6 dicas para bons hábitos

1. Gerencie seu tempo

É difícil planejar suas horas se você não sabe como está gastando cada uma delas.

A gestão do seu tempo é um passo importante para quem deseja aprender como aumentar a produtividade nos estudos, ou mesmo no trabalho.

Para fazer esse gerenciamento comece dividindo um grande projeto em tarefas individuais gerenciáveis.

Se você quer ser aprovado em um concurso grande como Auditor Fiscal da Receita Federal, você tem em mãos um extenso volume de matéria. Nesses casos você pode:

  • dividir as disciplinas em blocos de estudo;
  • após estudar a matéria completa de uma disciplina, crie uma rotina de revisão.

Também é indicado que você não comece a estudar todas as disciplinas ao mesmo tempo. Isso divide suas horas em frações muito pequenas. Conclusão: você se dedica pouco a cada uma das matérias e não consegue absorver o conhecimento de maneira correta.

Algumas matérias devem ser estudadas antes de outras, para assim você ter uma base maior, o que facilitará a compreensão do conteúdo. Se você tem um coaching para concurso, consulte-o sobre a ordem ideal de estudo.

Caso não tenha um coaching, você pode recorrer a aplicativos de estudo para concurso, aos professores de cursinhos, ou mesmo fazer uma pesquisa profunda da internet.

Se você se interessa pela área fiscal, terá mais informações no artigo: “Plano de estudo para Auditor Fiscal da Receita Federal”.

A gestão do tempo fica mais fácil quando você separa sua vida pessoal e de estudante em blocos de horas. O método de Ciclo de Estudo é o ideal para isso.

2. Faça pausas regulares

Acredite ou não, fazer uma pausa aumentará sua produtividade.

Alguns alunos tentam estudar por horas a fio sem parar. Isso não funciona.

Nosso cérebro diminui a retenção de informações quando começamos a nos cansar. Ou seja, você vai estudar muitas horas, mas reter apenas uma parte. Perda total de tempo!

Ao forçar nossa mente além de sua capacidade, só podemos experimentar maior estresse e fadiga.

Intervalos regulares ajudam a combater o cansaço e estresse, bem como maximiza a produtividade dos alunos.

Como um profissional estabelecido, você pode estar acostumado a longos dias de trabalho com apenas uma pausa para o almoço. Esqueça esse comportamento nos seus estudos!

Se você realmente quer aprender como ser mais produtivo nos estudos, precisará incluir pequenas pausas regulares na sua rotina.

Não há uma regra para esse descanso, mas existe uma metodologia muito interessante: a Técnica Pomodoro.

Nela você divide seu trabalho em intervalos de 25 minutos e faz uma pequena pausa entre cada um.

Use esses horários para descansar sua mente, então evite entrar em redes sociais ou resolver problemas pessoais.

3. Defina prazos

O terceiro passo de como ser mais produtivo nos estudos inclui definir um prazo para a conclusão de suas atividades.

Você pode determinar, por exemplo, que sua primeira atividade levará 3 horas, e que a mesma tem um prazo de 3 dias para ser concluída.

Se você só faz a primeira parte, ou seja, se apenas divide suas tarefas em blocos e define o tempo de estudo de cada um, sem colocar um prazo, corre o risco de demorar para iniciar e finalizar o bloco ao qual deve se dedicar.

A imagem abaixo mostra como a metodologia de ciclo de estudos organiza as disciplinas a serem estudadas:

 Como ser mais produtivo nos estudos

 

Você define o tempo que será dedicado a cada matéria, bem como a sua ordem de estudo.

É interessante que você defina um prazo para concluir a primeira volta no ciclo, por exemplo, 10 dias. Após concluir a primeira volta você deve iniciar a segunda.

4. Mantenha-se saudável

Parece óbvio, mas a maioria dos concurseiros ignora o fato de que se ficarem doentes não irão conseguir estudar, pelo menos não com a mesma produtividade.

Embora algumas doenças não possam ser evitadas, vale a pena tentar se manter o mais saudável ​​possível.

Uma dieta leve, por exemplo, é a melhor amiga do seu cérebro. Já reparou que depois daquela feijoada com arroz você morre de sono após o almoço? Pois é, fique ligado na sua dieta e na forte ligação existente entre alimentação e concursos públicos.

E claro, isso também vale para Enem, provas de classe, ou qualquer outro tipo de estudo.

Uma solução simples é introduzir refeições mais nutritivas em seu estilo de vida. Isso manterá os níveis de energia altos e tornará os estudos mais produtivos.

A produtividade do aluno depende de um ótimo sistema imunológico e ótima saúde.

Exercícios físicos também são fundamentais para evitar dores provocadas por muitas horas na mesma posição, por exemplo. Eles também são fundamentais para manter sua mente saudável e pronta para receber mais conteúdo.

5. Diminua ou pare de usar redes sociais como entretenimento

Como já abordado, a tecnologia deve ser sim usada por quem está se preparando para concurso. Entretanto, o uso deve ser voltado para auxiliar o desenvolvimento da aprendizagem, como o uso de aplicativos que ajudam a organizar os estudos, ou como fontes de informação.

Celulares, tablets, computadores, jogos – as telas estão em todos os lugares – e estão cheios de aplicativos desenvolvidos para distraí-lo e reduzir sua produtividade.

Se você está com problemas para se concentrar, a solução é fazer uma desintoxicação e eliminar essas ferramentas. Evite completamente esses dispositivos.

Coloque seu telefone em uma gaveta ou em outro cômodo. Você pode até tentar ir à biblioteca para estudar e deixar seu telefone em casa, ou, caso precise dele para usar algum aplicativo de estudo, coloque-o no modo avião ou bloqueie completamente as redes sociais. Prometemos, o Facebook ainda estará lá quando você voltar!

6. Separe um tempo para dormir

Pelo menos 8 horas de sono são essenciais para uma função cerebral saudável. Você ficará surpreso ao descobrir a importância do sono para os estudos.

Estudos sugerem que os estudantes podem precisar de ainda mais.

Para aumentar sua produtividade certifique-se de relaxar no final de cada dia e ir para a cama com calma.

Tome medidas para cansar seu corpo e relaxar a mente, como exercícios ou meditação.

O estresse é uma das principais causas de falta de sono, portanto, sua principal preocupação deve ser cuidar de si mesmo.

Gostou das dicas de como ser mais produtivo nos estudos?

Falamos muito sobre o método de Ciclo de Estudos, então se quiser conhecer mais e aumentar sua produtividade, sugerimos que leia o artigo; Como fazer um ciclo de estudos flexível e eficaz: 5 passos”.

E falando em tecnologia a favor do estudo, o EstudAqui é um aplicativo que monta um plano de estudos eficiente, personalizado e que atende às suas necessidades.

Escolha a prova para a qual deseja estudar e nós te mostramos todas as matérias que são pedidas no edital. Com apenas 1 clique nossa tecnologia criará um ciclo de estudo personalizado e exclusivo para você, considerando as suas dificuldades e facilidades pessoais em cada matéria.

Também possui a funcionalidade de controle para que possa ver o quanto já avançou em seus blocos de estudo e quanto falta para terminar um ciclo.

Além de tudo isso, há estatísticas e métricas especialmente pensadas para que você consiga melhorar o seu estudo diariamente e consiga a aprovação no menor tempo possível!

Acesse nossa plataforma e conheça mais sobre o EstudAqui. Você pode economizar ainda mais tempo e otimizar seus horários de estudo com o nosso aplicativo.