Por que insistir em estudar para concursos públicos

Por que você insiste em estudar para concursos públicos?

O primeiro mês de 2020 já está chegando ao fim e as 366 novas oportunidades já são reduzidas a 335. Se você ainda não aproveitou este mês, por que você insiste em estudar para concursos?

Há aquelas pessoas que emendaram o réveillon em “férias” e agora parecem protelar até o carnaval.

Em contrapartida, em alguns momentos de lucidez, se desesperam, correndo atrás de dicas e fórmulas milagrosas para alcançar a tão sonhada aprovação.

Se você se identificou totalmente, afinal, por que ainda insiste nos “estudos”, ou melhor, na ideia do concurso?

Por outro lado, se você está apenas desanimado, este artigo pode ser a injeção de ânimo que você precisa para recuperar o tempo perdido. Continue a leitura!

Persistente ou insistente?

Em um artigo anterior, elaborado a partir de um bate-papo com o mentor de concursos Victor Ribeiro, nós destrinchamos a diferença entre o concurseiro persistente e o insistente.

O persistente estuda por anos e é aprovado. Já o insistente, persevera nas falhas por anos, não se cura da doença da desculpite e não obtém sucesso.

Há anos eu recebo mensagens de pessoas dizendo que simplesmente “não conseguem estudar”. Afinal, não conseguem de fato ou não querem? 

Ao meu ver, são pessoas insistentes, não persistentes.

A doença da desculpite

Primeiramente, entre as principais reclamações e medos de quem não está conseguindo estudar para concurso que leio frequentemente, estão:

  • vou esperar o orçamento sair para ver se tem previsão do concurso que eu quero;
  • estão falando que a estabilidade vai acabar;
  • a aposentadoria vai piorar;
  • irão diminuir a remuneração inicial.

Meu amigo, nenhuma dessas ideias é motivo para deixar de lado a sua rotina de estudos. Todas essas “informações” e decisões são, na verdade, sintomas da “doença da desculpite”.

Os leitores do meu livro já devem conhecer essa expressão, pois foi muito citada em minha obra, mas este é um conceito retirado do livro “A mágica de pensar grande”, do autor David Schwartz, lançado em 1959.

O termo explica que a maioria dos problemas e percalços que encontramos no caminho até o nosso objetivo se trata apenas de desculpas.

Assim sendo, a vítima da “doença da desculpite” está sempre em busca de uma boa “razão” para justificar a sua procrastinação.

Tudo bem não querer prestar concursos

Quando você decide prestar concursos, deve entender suas reais motivações.

Isso significa decifrar o que você pode alcançar trabalhando no serviço público, esquecendo um poucos os números propriamente ditos na conta bancária.

Afinal, se seus principais motivos para estudar para concursos não estiverem bem claros em sua mente, a chance é que, aos poucos, sua motivação despenque e você desista na primeira adversidade.

Também não é incomum aqueles “concurseiros” que só o são por influência da família e dos amigos.

Afinal, ser servidor público é o que, de fato, você deseja? Tudo bem se não for! Empreenda ou construa uma carreira brilhante na iniciativa privada.

Em suma, a vida de servidor público não é só ter uma conta bancária gorda e estabilidade. Você precisa ter vocação e identificação com o cargo a ser ocupado!

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui. E claro, continue lendo :).

Quero ser persistente!

Entenda que não existe “meio concurseiro”, ou seja, aquela pessoa que deseja prestar um concurso, mas estuda apenas eventualmente.

Dessa forma, prestar um concurso é uma postura que deve ser internalizada e refletida em estudo constante!

Portanto, se você percebe que manter uma rotina de estudos realmente não é a sua praia, pare de se enganar, meu amigo.

Deixe de gastar dinheiro com materiais e criar expectativas na sua família sobre a aprovação em um cargo público.

No entanto, se você está decidido que o mundo dos concursos é para você, aprenda a ser persistente

Para conquistar a mentalidade do concurseiro vencedor é preciso fazer ajustes o tempo todo – no seu ciclo de estudos, no material, na escolha de exercícios e mais.

Além disso, aprender com os acertos também é um jeito de aprender mais, mais rápido e melhor. Isso quer dizer que você também deve entender o que está sendo efetivo e continuar replicando.

Ainda não consigo estudar! O que fazer?

Encontrar o que te motiva a estudar é a melhor forma de cessar as queixas de “não consigo estudar!”.

Sendo assim, questione-sempre: Por que eu estou estudando para um concurso público? Quais aspectos da sua carreira te deixavam insatisfeitos e te levaram a tomar essa decisão?

Portanto, identificar a motivação é ter combustível o suficiente para alcançar o seu objetivo.

Para te auxiliar neste impasse, reuni em um artigo as possíveis causas para o bloqueio com os estudos e como superá-las: “Não consigo estudar! Há uma solução emergencial para essa situação?”. Não deixe de ler!

Por que você insiste em estudar para concursos?

Se você tem uma resposta muito boa para essa pergunta, é hora de sacrificar alguns confortos e encarar os estudos.

Por fim, se você decidiu que atuar como servidor público é para você, estude. De verdade. Com todo empenho e a todo momento.

Ou você estuda de verdade, por meio de bons materiais de estudo e com métodos de qualidade ou você busca se encontrar em outra carreira.

Os candidatos que são aprovados não são meio-concurseiros, mas concurseiros por inteiro.

É verdade que as dificuldades do caminho da aprovação são enormes. Mas elas podem ser muito facilitadas quando você tem as ferramentas corretas ao seu alcance.

Saiba que você não precisa, e nem deveria, tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Thiago Magalhães.

Ver todos os artigos de Thiago Magalhães