Blog
dicas sobre como estudar para o Enem sozinho

Como estudar para o Enem sozinho usando o método SQ3R?

Antes de aprender como estudar para o Enem sozinho, primeiro você deve desenvolver um hábito de estudo correto. É preciso ter muita disciplina e concentração para isso, mas a boa notícia é que existem muitas maneiras eficazes de assimilar novas informações

É uma questão individual descobrir o que funciona para você. Por isso, responda às seguintes perguntas:

  • Que plano de estudo é mais adequado para você?
  • Qual o melhor horário para você estudar de acordo com seu ritmo biológico?
  • Qual é o ambiente ideal para seus estudos?

Conhecendo o seu perfil, você saberá como estudar para o Enem sozinho com muito mais eficiência e assertividade.

Para te incentivar nessa tarefa, mostraremos uma metodologia que irá impulsionar seus estudos. Daremos dicas sobre como fazer anotações de maneira estratégica e também explicaremos como o cérebro processa novas informações. 

Continue lendo!

Como estudar para o Enem sozinho usando o Método SQ3R?

O Método SQ3R (também conhecido como SQRRR) é o sistema de leitura e estudo preferido por muitos educadores. Ele foi disseminado com o livro “Effective Study”, do autor Francis Pleasant Robinson. 

Basicamente, a estratégia tem 5 passos: 

  1. Survey (pesquisar)
  2. Question (perguntar)
  3. Read (ler)
  4. Recite (recitar)
  5. Review (revisar)

A pesquisa em leitura indica que este é um método extremamente eficaz para compreensão e retenção de memória, pois é um sistema de envolvimento ativo do leitor.

A seguir explicaremos em detalhes a metodologia para você aprender a estudar para o Enem sozinho.

1. Survey (pesquisar)

O primeiro passo é pesquisar. Antes de você realmente ler um capítulo ou revisar um bloco de anotações em particular, gaste cinco minutos para examinar todo o material, o que seria uma “pré-leitura”.

Verifique brevemente os cabeçalhos e subtítulos para entender o padrão organizacional de ideias do autor a ser discutido, digitalize todo o material visual, e leia parágrafos introdutórios e resumos. 

Essa prévia permitirá que você se familiarize com o assunto do capítulo.

2. Question (perguntar)

Após fazer a pesquisa inicial sobre o tema a ser estudado, naturalmente o seu cérebro irá criar perguntas para “ficar pronto” para absorver o conteúdo

Alguns exemplos são:

  • “Quais são os principais pontos do capítulo?”;
  • “O que eu já sei a respeito do tema?”;
  • “Quais outras obras deste autor eu já li?”;
  • “Como posso associar esse assunto ao conhecimento que já tenho?”.

Vale anotar as questões e se esforçar para criar uma lista de dúvidas. Assim como a pesquisa do passo 1, as perguntas preparam a mente para o conteúdo que está por vir. 

Além disso, você terá mais interesse no tema, pois buscará as respostas para os questionamentos enquanto estiver lendo. Ou seja, essa etapa fornece um objetivo para a leitura.

3. Read (ler)

Agora sim, chegou a hora de efetivamente ler o capítulo ativamente para compreender seu significado. 

Percorra o parágrafo antes de sublinhar e, em seguida, marque as palavras e frases-chave para se lembrar dos pontos principais.

Seja seletivo, você não quer destacar pontos irrelevantes ou perder algo que possa ajudar na sua compreensão.

Depois, resuma os principais conceitos com suas próprias palavras nas margens. Quanto mais ativo você for no processo de leitura, mais conhecimento você vai reter.

4. Recite (recitar)

Após algumas páginas, feche o livro e recite em voz alta os pontos principais das perguntas que você colocou no passo 2. Tente lembrar detalhes básicos sobre a intenção do autor, colocando-os com suas próprias palavras.

Verifique sua resposta, comparando com o texto. Caso não se lembre, leia-o novamente.  Afinal, se não conseguir agora, dificilmente se recordará no momento de um teste.

Tire o tempo que precisar para responder às suas perguntas. Não fique frustrado, esse processo é mais demorado, mas a informação ficará mais clara em sua mente.

5. Review (revisar)

Finalmente, revise o capítulo de vez em quando para fixar o material em sua mente. Continue relendo suas notas de margem e sublinhados, e verbalize a sequência de ideias principais e fatos de apoio para auxiliar na retenção.

Diversas avaliações são muito mais eficazes do que uma sessão de revisão complexa na noite anterior ao exame. Então, revise assim que terminar de ler e volte a fazer isso a cada dois dias. 

Quer saber mais? Confira no vídeo como estudar com o método SQ3R.

 

O SQ3R pode ser um pouco demorado no início, contudo, a retenção de informações pode melhorar exponencialmente após o uso contínuo da metodologia. Por consequência, eventualmente você alcançará uma redução nas horas gastas na preparação para os exames.

Agora que você já tem uma boa noção de como estudar para o Enem sozinho, vale fazer um esforço para implementar a estratégia na sua rotina de estudos. 

Como estudar para o Enem sozinho? Dica extra

Outra metodologia eficaz de estudo é o Método 2-6, que é a maneira como você divide o espaço no seu papel de anotações. Para utilizá-lo, faça duas colunas e use a linha vermelha à esquerda da página como sua borda.

Quando fizer anotações na aula, use as seis colunas para as notas e as duas colunas menores à esquerda como um sistema de destaque.

Escreva cabeçalhos principais e pontos importantes à esquerda, incluindo o material que você acredita que será cobrado. Quando terminar, você deve ter uma página abrangente de informações para procurar rapidamente por pontos importantes.

Ter um sistema de anotações eficiente é essencial para manter a concentração em aula e, simultaneamente, fazer notas legíveis e significativas para utilizá-las posteriormente em seus estudos.

Você não pode confiar em “escrever tudo”, porque muitas informações em uma determinada aula não o ajudarão a realmente aprender. Se tiver problemas para determinar os pontos relevantes específicos em uma aula em particular, você sempre pode pedir ao professor para esclarecê-los para você.

Isso é importante para estudar para o Enem sozinho e evitar que nenhuma informação relevante seja perdida. 

Veja aqui como fazer anotações em aula e registrar os conteúdos importantes.

Como o cérebro processa informações novas?

ilustração de cérebro com lupa em cima

Agora que você já conhece uma metodologia para te ajudar a estudar para o Enem sozinho, vamos explicar como o cérebro absorve informações novas. 

Entender esse mecanismo é primordial para você aprimorar suas técnicas de estudos e otimizar a retenção de informações. 

Siga a leitura!

Mecanismos de memória e repetição

Memória

Quando aprendemos algo, a informação é processada no cérebro para formar um traço neural. Este traço entra primeiro na sua memória sensorial, e então, se você está prestando atenção, na sua Memória de Curto Prazo (MCP).

Caso continue trabalhando para processar as informações e adaptá-las corretamente, elas serão transferidas para a Memória de Longo Prazo (MLP). A informação processada em sua MLP é relativamente permanente; assim, com uma revisão ocasional, você não vai esquecê-la.

O truque para estudar para o Enem sozinho é adaptar as informações que você realmente precisa à sua MLP o mais rápido possível.

Sua MCP tem uma pequena capacidade e uma curta duração. Você pode aprender algo muito rapidamente, mas em algumas horas irá perder a maior parte das informações. Ou seja, a MCP é rápida e de fácil acesso, enquanto a MLP é mais lenta, porém maior.

Repetição

A chave para aprender bem é a repetição. Quanto mais vezes você passar pelo material, maior a chance de armazená-lo permanentemente.

Antes de começar este processo, no entanto, faz sentido determinar o tipo de aluno que você é. Existem três tipos básicos de aprendizado:

  • visual;
  • auditivo;
  • tátil.

A maioria de nós é, na verdade, uma combinação dos três, mas as chances são de que um estilo se sobressaia.

Veja a seguir os detalhes de cada um deles.

Tipos de aprendizados

Aprendizado visual

Os aprendizes visuais estudam melhor quando o material é gráfico/visual, ou seja, possuem gráficos, tabelas, mapas, etc.

Quando em aula, as pessoas visuais devem olhar para os professores quando estão falando, participar de discussões em classe e fazer anotações detalhadas durante as palestras.

Ao estudar para o Enem sozinho, escolha um lugar calmo e tente transcrever seu material no papel. Quando possível, faça desenhos, gráficos, mapas mentais ou tabelas de ideias abstratas complexas e trabalhe só.

Alunos visuais muitas vezes têm dificuldade em trabalhar quando estão em grupo, mesmo que o diálogo seja diretamente relacionado ao assunto.

Aprendizado auditivo

As pessoas auditivas funcionam melhor quando podem ouvir o material. Para este perfil, as dicas para estudar para o Enem sozinho são: 

  • leia em voz alta;
  • repasse suas anotações;
  • converse com você mesmo sobre os pontos importantes.

Antes de ler, defina um propósito e verbalize-o, e, após terminar, certifique-se de resumir em voz alta o que acabou de ler.

Também grave suas ideias no gravador do seu celular, por exemplo, como se estivesse conversando com alguém, e, se puder, converse com seus familiares e amigos sobre o material.

Como os alunos auditivos às vezes têm dificuldades em alinhar ideias, tente fazer cálculos matemáticos à mão, em papel quadriculado.

Aprendizado tátil

Os aprendizes táteis são a divisão mais mutável e correspondem às pessoas que não podem ficar paradas. Elas precisam andar ao redor da sala, devem ter uma música ou uma televisão tocando ao fundo e quase sempre estão distraídas.

Apesar de pais e professores afirmarem o contrário, o aprendizado tátil é tão eficaz quanto os outros dois tipos mais tradicionais. Em vez de lutar contra a sua natureza, adapte-se a ela e encontre um método que realmente funcione.

Se você se encaixa nesse perfil, algumas dicas sobre como estudar para o Enem sozinho são:

  • torne os estudos mais físicos;
  • trabalhe em pé em uma escrivaninha;
  • ande ao redor do quarto;
  • leia enquanto estiver em uma bicicleta de exercício;
  • mastigue chiclete;
  • tente usar cores quando puder;
  • destaque suas leituras com marca texto;
  • leia com uma luz filtrada;
  • coloque cartazes e cores brilhantes em torno da sua mesa.

Confira um guia completo sobre como organizar o ambiente de estudo.

As pessoas táteis devem variar suas atividades e, se você se sentir frustrado ou entediado, faça algo diferente por alguns minutos.

Fique atento e anote em uma lista as distrações conforme elas chegam a você. Depois de anotá-las, elas não vão incomodar tanto a sua concentração. Se quiser, toque uma música em segundo plano em qualquer volume que preferir.

Quando estiver lendo, passe o olho no capítulo para obter uma visão geral antes de mergulhar na leitura, e procure visualizar projetos complexos do início ao fim antes de iniciá-los.

A visualização é uma ferramenta útil para as pessoas táteis, pois ajuda a manter uma visão positiva e produtiva da tarefa em mãos.

 

O que achou das dicas sobre como estudar para o Enem sozinho usando o método SQ3R e de conhecer o seu perfil de aprendizado? 

Tenha em mente que estudar é 99% transpiração. Se você fizer um esforço real, mudar hábitos e manter a concentração ao longo de um semestre, verá uma melhora incrível. Seu sucesso no Enem depende inteiramente de você.

Por isso, ser prático e objetivo no seu método de estudo é fundamental. Já pensou em automatizar o processo de organização das matérias, considerando a sua facilidade pessoal em cada disciplina?

O aplicativo do Estudaqui é a solução ideal e conta com funcionalidades para controlar seu avanço em cada disciplina e quanto falta para terminar um ciclo. Além disso, tem estatísticas e métricas especialmente pensadas para você melhorar o seu estudo diariamente e conseguir a aprovação no menor tempo possível.

Com ele você:

  • monta um ciclo de estudos personalizado e eficiente;
  • controla o estudo com métricas e estatísticas;
  • tem gatilhos de recompensas para manter a motivação e bater metas;
  • recebe revisões e lembretes diários.

Conheça a Estudaqui e veja como você pode economizar muito tempo e otimizar seus horários de estudo.

Um abraço, Tiago Ribeiro Neves.

Ver todos os artigos de Tiago Ribeiro Neves