Blog
O que aprendi com as minhas reprovações em concursos públicos

O que aprender com as reprovações em concursos públicos?

Por mais preparo, determinação e empenho que você tenha, as reprovações em concursos públicos são obstáculos pelos quais você terá que passar. No entanto, sabemos que “falhar” sempre tem um gosto amargo.

No entanto, a reprovação não é o fator mais importante – ela também faz parte de uma jornada de sucesso.

Isso porque, o que realmente importa é como o candidato lida com isso, ou seja, o que fazer após as reprovações em concursos.

Alguns vão se deprimir e desistir, outros vão ter uma grande desilusão e levarão um tempo para digerir, enquanto terceiros vão usar a reprovação como oportunidade.

As reprovações em concursos públicos devem ser vistas como parte do processo e, dessa maneira, é necessário buscar ver onde errou e aprender com os erros para não cometê-los novamente.

Quem vê um funcionário público bem sucedido nem imagina quantas reprovações em concursos ele já possa ter sofrido.

Podemos te afirmar que todas elas são essenciais para o alcance do sucesso.

Se você acabou de “tomar bota” em algum concurso, te recomendo a continuar a leitura. Convidamos o Master Coach Felipe Lima para conversarmos um pouco sobre a relação entre aprendizado, superação e reprovações em concursos públicos. Confira!

Fazemos apenas uma breve pausa no artigo para deixar claro que nós, Alexandre Meirelles e Felipe Lima, não temos qualquer relação com a Estudaqui e que não ganhamos nada ao escrever esses artigos e nem ao indicar o aplicativo Estudaqui. Indicamos o aplicativo e apoiamos o site porque gostamos e porque eles são realmente os melhores do mercado no que fazem, são de longe a melhor opção!

Primeira lição: não menospreze as disciplinas que você não gosta ou que tenham mínimo

A reprovação em alguma prova faz parte da grande maioria dos concurseiros antes de se tornarem servidores públicos.

A partir desse momento, é claro, precisam lidar com a frustração, mas aprender com os erros.

O maior aprendizado das reprovações é: se você se deparar com disciplinas que tenham um mínimo de pontuação, estude-as com seriedade.

De nada vai adiantar você “arrebentar” em outras disciplinas se deixar uma para trás e não atingir o mínimo exigido dela.

Segunda lição: evite a autossabotagem

Felipe Lima, mentor, alerta sobre o erro que cometi, que é ser aliado do pessimismo: “Às vezes você não esgota o edital ou não valoriza sua preparação, logo, para não se frustrar, você já faz uma determinada prova com pessimismo e acaba se auto sabotando.”

Dessa forma, acredite sempre em você. Mesmo que sinta que não está 100% preparado, faça suas provas com seriedade.

Em suma, é melhor obter uma reprovação por não estar 100% preparado, mas ficar de experiência, do que “perder” por pouco, simplesmente por não acreditar em você.

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui, e também continue lendo :).

Terceira lição: o sucesso do passado não garante o sucesso do futuro

Essa é mais uma lição aprendida pela maioria dos concurseiros que fazem um concurso mais fácil antes de prestar um outro mais difícil: o sucesso do passado não garante o sucesso do futuro.

Ou seja, não podemos subestimar a concorrência: se você não fizer a sua parte, facilmente será superado por outros candidatos.

A frustração é tão grande que às vezes a pessoa nem presta o mesmo concurso novamente.

Quarta lição: o concurseiro precisa cuidar da saúde

O concurseiro, principalmente após a publicação do edital, deve ser paranoico: preserve-se, cuide da sua saúde. Você não vai querer que uma gripe coloque a perder tantos meses ou até mesmo anos de estudo.

“As pessoas costumam falar que vão cuidar da saúde, fazer exercícios físicos e cuidar da alimentação depois que passar no concurso. Mas esses cuidados são fundamentais durante a preparação”, explica o coach Felipe Lima.

Após aprender as lições, a aprovação será uma consequência

Aprenda com todas as suas reprovações em concursos: não menospreze nenhum conteúdo, não pratique autossabotagem, não conte vantagem, e cuidei da saúde.

Diante das reprovações em concursos, é importante tirar forças para continuar e ser igual ao Juggernaut, personagem da Marvel: quebrar todas as paredes que tiver em seu caminho. Dessa forma, abaixe a cabeça, estude e depois bote para quebrar!

Reprovações em concursos públicos não precisam ser sofridas!

“O que dói não é a reprovação, é a culpa”, aponta Felipe Lima. Portanto, não se culpe. Continue lutando.

Por fim, saiba que, todo mundo, pelo menos uma vez na vida, precisa encarar uma negativa para os seus sonhos.

É claro que as reprovações em concursos públicos sempre vão doer. No entanto, é importante aprender a levantar o quanto antes. Em suma, chore as mágoas por um, dois ou três dias, mas persista. Não demore 10 anos como eu!

Para finalizar, deixamos aqui uma última dica importante: saiba que você não precisa, e não deveria, tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Alexandre Meirelles e Felipe Lima.

Ver todos os artigos de Alexandre Meirelles.