Mentalidade do concurseiro vencedor

Mentalidade do concurseiro vencedor: qual é e como pensar assim?

Tão importante quanto ter em mãos bons materiais e manter uma rotina organizada de estudos, é pensar positivo e ter disciplina o suficiente para vencer. Você sabe qual é a mentalidade do concurseiro vencedor? Você pensa como um campeão?

A autossabotagem é um perigo real, que pode colocar em risco a sua aprovação – mesmo tendo tudo ao seu favor (materiais, dinheiro, tempo…). 

Por isso, manter uma atitude mental positiva é importante para sua motivação, mas também para um melhor aprendizado.

A mentalidade do concurseiro vencedor é uma configuração que ajuda os concurseiros a se manterem motivados e com um melhor desempenho nos estudos.

Se você está com a faca e o queijo nas mãos – ou melhor, com bons livros e todo o tempo do mundo – só falta configurar seu pensamento para se tornar um vencedor. Isso significa se livrar de qualquer atitude negativa.

Faço apenas uma breve pausa no artigo para deixar claro que eu, Alexandre Meirelles, não tenho qualquer relação com a Estudaqui e que não ganho nada ao escrever esses artigos e nem ao indicar o aplicativo Estudaqui. Indico o aplicativo e apoio o site porque gosto e porque eles são realmente os melhores do mercado no que fazem, são de longe a melhor opção!

Para explicar qual é a mentalidade do concurseiro vencedor e como alcançar essa postura, convidei meu amigo e mentor de concursos Victor Ribeiro, que concedeu dicas valiosas sobre o assunto. Continue a leitura para mudar seu mindset!

Pensar positivo é o maior diferencial no final das contas

“Ao longo do processo, a pessoa precisará de duas atitudes-chave: a persistência, porque se você não é um grande gênio, você não irá passar de primeira – e a reprovação faz parte – e a segunda coisa é aprender com os erros e fazer ajustes”, decreta Victor Ribeiro.

Victor Ribeiro - FotoSendo assim, a primeira mentalidade do concurseiro vencedor é tirar uma lição de cada derrota. Cada obstáculo deve oferecer um aprendizado que te permita aperfeiçoar seus métodos para, assim, obter sucesso.

O mindset, ou seja, a forma de pensar da pessoa, é essencial no processo da construção da aprovação.

Pensar com confiança é resultado da competência

Um das principais características da mentalidade do concurseiro vencedor é a confiança. No entanto, não há uma “receita de bolo” para ser um concurseiro confiante.

“A confiança é uma função da competência da pessoa”, explica Victor. Dessa forma, estar confiante no dia da prova é fruto de um trabalho árduo.

E ser competente é, primeiramente, persistir. Isso significa criar um rotina de estudos, fazer dezenas de exercícios  e cumprir com o que o edital propõe.

E, se depois disso tudo, você falhar mesmo assim, a competência é ter a humildade de avaliar o que você errou, por que errou e trabalhar ativamente nas mudanças.

Ter a mentalidade do concurseiro vencedor é ainda mais importante agora

Vivemos um cenário de escassez de concursos públicos e, mais do que nunca, parece impossível se manter motivado.

Dessa forma, a mentalidade do concurseiro vencedor é indispensável para quem sonha em ser servidor público, mesmo na época das “vacas magras”.

“Hoje, os concursos mais famosos, sobretudo os federais, estão mais escassos. Então, se a pessoa estiver se preparando para um concurso de ponta, precisa aprender de forma sustentável”, recomenda Ribeiro.

Eu, Alexandre, ainda acrescento que a mentalidade do concurseiro vencedor se faz ainda mais necessária agora para que você consiga agarrar as oportunidades que surgem.

Porque antes, diante das falhas, rapidamente surgia uma nova oportunidade ou melhor. Agora, encontrar um edital que realmente faça seus olhos brilhar está cada vez mais raro.

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui, e também continue lendo :).

Mostre que você é persistente e não insistente

Victor reforça que há dois tipos de concurseiros:

  • o persistente, que estuda por anos e é aprovado;
  • e o insistente, que persevera nas falhas por anos e não obtém sucesso.

Um dos principais segredos para ter a mentalidade do concurseiro vencedor é saber ser persistente, não insistente.

“O persistente começa a fazer, percebe o que está fazendo, vê o que está funcionando e o que não está, ajusta o que está errado e avança”, explica Victor Ribeiro.

Para conquistar a mentalidade do concurseiro vencedor é preciso fazer ajustes o tempo todo – no seu ciclo de estudos, no material, na escolha de exercícios e mais.

Aprender com os acertos também é um jeito de “aprender mais, mais rápido e melhor”, de acordo com Victor. Isso quer dizer que você também deve entender o que está sendo efetivo e continuar replicando.

No dia da prova, tudo bem ser um “idiota motivado”

Confiar na jornada que você percorreu e ir fazer uma prova feliz também faz parte da mentalidade do concurso vencedor.

“Na hora da prova, tenha uma confiança absoluta de que você irá passar. Mesmo tendo a confiança absoluta de que você irá passar, pode ser que você não passe. Mas se você estiver em dúvida da sua capacidade na hora da prova, aí é quase garantido que você não passará”, aponta Victor.

Mais do que ser um estrategista que aprende com os erros, a positividade, sobretudo no dia da prova, tem efeitos benéficos no seu psicológico, evitando brancos e outros labirintos mentais.

O segundo nível da Programação Neurolinguística, por exemplo, fala dos comportamentos, que estão ligados às crenças. 

As crenças e os valores são princípios fundamentais que norteiam suas ações. Logo, acreditar no seu sucesso e confiar nos seus valores faz parte da mentalidade do concurseiro vencedor.

As pessoas precisam aprender a aprender

A mentalidade do concurseiro vencedor também envolve a capacidade de entender quais métodos de estudo funcionam para você.

Isso não quer dizer seguir exatamente um modelo proposto por mim, pelo Victor, pelo Alexandre, pelo Fernando Mesquita ou outro mentor.

Você deve testar possibilidades, mas sobretudo encontrar quais delas o permitem ser mais produtivo e absorver o máximo de conhecimento.

No meu caso, o próprio ciclo de estudos foi uma técnica que eu desenvolvi para mim mesmo, e que só depois de aprovado, enquanto mentor, decidi compartilhar.

Ouvir conselhos e conhecer metodologias é importante, mas respeitar seu próprio método e estilo de aprendizado (que pode ser um reflexo de tudo o que você já viu ou aprendeu) é o mais importante.

“Você vai ter várias pessoas que vão te influenciar, mas você se tornará seu próprio guru”, finaliza Victor Ribeiro.

Dessa forma, vencer é ser capaz de aprender diariamente com seus próprios erros mas também com os acertos. 

Um concurseiro vencedor também sabe pedir ajuda

Conhecer o que funciona para você, a partir da sua experiência diária de estudos, não significa abdicar de ajuda.

Muito pelo contrário: você não precisa, e não deveria, tentar fazer tudo sozinho. Facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Ver todos os artigos de Alexandre Meirelles.