Faculdade ou concurso - é possível conciliar

Faculdade ou concurso: é possível conciliar essas duas jornadas?

Quando ingressamos na faculdade, começamos também a buscar a inserção no mercado de trabalho. Neste cenário, os concursos públicos também parecem opções tentadoras, mas tão exaustivas quanto a graduação. Aí você se pergunta: “faculdade ou concurso – eu preciso escolher, é possível conciliar?”

Além de ser um sonho de quase todos os jovens, a faculdade é pré-requisito para conquistar os melhores cargos públicos.

Isso porque, os concursos de alto nível, como da Receita Federal, da Polícia Federal e dos TJs, com melhores carreiras, salários e condições de trabalho, exigem o nível superior ou tecnólogo.

Ou seja, se o seu sonho é assumir um cargo deste patamar, uma hora ou outra será necessário encarar a universidade.

Há também os casos de quem entrou para a faculdade logo após o ensino médio e, agora, enxerga nos concursos a melhor possibilidade de vida.

Em ambos os casos, escolher entre faculdade ou concurso parece impossível. Mas conciliar as duas jornadas não é, embora exija muita dedicação e disciplina. E é isso que vou te contar hoje. Continue a leitura!

Faço apenas uma breve pausa no artigo para deixar claro que eu, Alexandre Meirelles, não tenho qualquer relação com a Estudaqui e que não ganho nada ao escrever esses artigos e nem ao indicar o aplicativo Estudaqui. Indico o aplicativo e apoio o site porque gosto e porque eles são realmente os melhores do mercado no que fazem, são de longe a melhor opção!

Eu comecei a estudar para concursos conciliando com a faculdade

Em 1991, eu estava na metade do curso de Informática na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) quando resolvi começar a estudar para concursos.

Estudei paralelamente, passei em alguns e garantindo o meu “ganha-pão” antes mesmo de colocar as mãos no diploma.

Entretanto, a primeira preocupação que você precisa ter para não ter que escolher entre faculdade ou concurso, é estudar para os certames sem atrasar sua formatura.

Afinal, de nada adianta estudar para um concurso de nível superior, ser aprovado, mas não poder assumir o cargo porque a faculdade não foi concluída em tempo hábil.

Isso aconteceu comigo e, por experiência própria, posso te dizer que não vale a pena.

Eu fui aprovado para Auditor Fiscal da Receita Estadual de Minas Gerais, em 1993, no entanto, eu ainda era estudante, porque atrasei minha formatura ao reprovar em algumas disciplinas.

Dessa forma, evite precisar lidar com a frustração de passar em um cargo renomado e não poder assumir.

Outra frustração que também pode surgir é haver seu concurso sonhado logo após sua formatura e você não estar apto a ser aprovado nele porque não estudou para ele durante seu curso. Depois ele poderá levar uns bons anos para vir de novo. Por isso, comece logo a estudar para seu concurso, mesmo que esteja no meio da faculdade ainda.

Você já pode sim, começar a estudar para concursos durante a faculdade – não precisa escolher entre faculdade ou concurso.

Mas tenha equilíbrio para não afetar sua formação e o “tiro sair pela culatra”, ou seja, conquistar a aprovação mas não poder ser nomeado.

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui, e também continue lendo :).

Estudos para a graduação e estudos para concursos têm estilos diferentes

Ao decidir conciliar faculdade e concursos públicos, você precisa entender que os métodos de estudo são diferentes em cada caso.

Livros para concursos, em geral, são mais específicos para a resolução de provas, bem como trabalham conceitos mais cobrados nos certames.

Enquanto isso, os livros acadêmicos apresentam uma ampla base teórica, cumprindo com o objetivo de formar o profissional.

Em geral, os livros acadêmicos só configuram-se como um bom conteúdo para concurso público para certames mais específicos.

Este é o caso dos concursos mais específicos da área jurídica – para cargos de juiz, promotor e procurador.

Alguns livros acadêmicos e jurídicos são constantemente utilizados por concurseiros que estão em busca de cargos como estes.

Outra situação em que é possível usar livros acadêmicos para estudar para concursos públicos é para quem está prestando um certame específico para a sua área de formação.

Por exemplo, você é Engenheiro Eletricista e irá estudar para um concurso para esse cargo em algum órgão.

Nesse caso, dificilmente haverá livros que apresentem conteúdo para concurso público voltado especificamente para a área de Engenharia.

Por quais disciplinas começar a estudar?

Se você não quer escolher entre faculdade ou concurso, para conciliar, comece a estudar para os certames com disciplinas básicas da área desejada.

O estudo estratégico deve ser pautado pela análise de editais anteriores. Analisando-se provas passadas, sabe-se que temas são os mais cobrados, seu grau de dificuldade e em que se baseiam.

Para os concursos mais concorridos, vale começar estudando por disciplinas mais curingas, como:

  • Raciocínio Lógico;
  • Português;
  • Direito Constitucional;
  • Direito Administrativo.

Se você faz faculdade de Direito e pretende prestar concursos na área jurídica, por exemplo, dê atenção especial às disciplinas que são cobradas no seu concurso e quais pontos das matérias são mais exigidos pelos editais.

Vale a pena até mesmo trocar uma ideia com o professor sobre grau de dificuldade do conteúdo, exercícios e mais.

Por fim, é importante ressaltar que, estudadas as disciplinas básicas, você terá mais estrutura para continuar seus estudos para concursos.

Conciliar faculdade e estudo para concursos exige alguns sacrifícios

É claro que manter duas jornadas árduas de estudo não é fácil – mas seu esforço será recompensado.

Por isso, divida rigorosamente o tempo de estudo entre todos os seus projetos.

Acorde mais cedo, sacrifique alguns fins de semana e aproveite qualquer tempinho disponível.

Isso serve até mesmo o tempo de deslocamento para a faculdade, por exemplo. Utilize-o para ler apostilas, livros e e-books, assistir a videoaulas e consultar as anotações no caderno.

Além disso, que tal evitar o tempo de deslocamento estudando para concursos na própria biblioteca da faculdade, após a aula?

Se te interessar, aqui no blog tem um artigo muito útil para você que quer estudar para concursos públicos sozinho.

Em suma, eu acredito que não é necessário escolher entre faculdade e concurso, é possível conciliar os dois mundos, caso haja organização.

No entanto, jamais atrase a sua formatura por conta dos concursos, pois as consequências podem ser muito frustrantes.

Pra finalizar, se você está atrás de uma última dica infalível, deixo aqui a que considero a melhor de todas: saiba que você não precisa tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Alexandre Meirelles.

Ver todos os artigos de Alexandre Meirelles.