Blog
estudar e aprender

Ensinar e aprender: como melhorar o desempenho nos estudos?

Você já parou para pensar que a relação entre ensinar e aprender pode otimizar seus estudos? De fato, um não precisa do outro para ocorrer. Ainda assim, esses dois conceitos podem conquistar bons resultados, mutuamente, seja em vestibulares, concursos e afins.

Mas, afinal, como você pode ensinar e aprender dentro da rotina de estudante? Neste artigo, vamos falar de 5 táticas infalíveis para colocar seu aprendizado em prática. Por sinal, esse é um jogo de ganha-ganha: você ajuda outras pessoas e, de quebra, aprende mais.

E, antes disso, vamos fazer um breve parêntese para falar a sobre recordação ativa. Ou seja, essa técnica te ajuda a lembrar de conteúdos de maneira ativa (e não passiva). Nessa perspectiva, confira um vídeo sobre a aplicação do active recall nos estudos:

Como funciona a relação entre ensinar e aprender?

Ensinar e aprender andam de mãos dadas. Porém, nem sempre nos damos conta disso. Por exemplo, quando aprendemos algo complicado, pode ser difícil achar que somos bons o suficiente para transmitir o conhecimento, não é? No fim das contas, só poderia ensinar quem domina o assunto, certo? Não exatamente. 

Você não precisa ser um professor para compartilhar informações diante de situações informais e rotineiras. Na verdade, quando se trata dos concurseiros e outros estudantes, a prática de ensinar e aprender contribui para a conquista de resultados conjuntos.

Por falar nisso, sabia que você também pode estudar e aprender enquanto está ensinando? Isso acontece por vários motivos, entre eles:

Pratique durante o ensinamento

Quando vai explicar algo, é preciso mostrar o que aprendeu, ao formular com suas próprias palavras. Logo, você consegue garantir que assimilou o assunto ou verificar que precisa retomar algum ponto.

A propósito, listamos algumas maneiras simples de fixar as informações e praticar o que foi aprendido. E isso vale tanto para quem aprende, quanto para quem ensina:

  • Falar em voz alta;
  • Fazer anotações ao explicar;
  • Construir raciocínios lógicos;
  • Repassar exercícios, questões e problemas.

Compartilhamento de dúvidas

À medida que você ensina uma matéria, podem surgir dúvidas que você não teve antes. Portanto, ao pensar nas respostas para essas perguntas, você ainda presta atenção em outros detalhes

Sendo assim, fica mais fácil rever os pontos que tinham passado em branco, além de compreender melhor o assunto. Consequentemente, você descobre fatos que até então eram desconhecidos, ao passo que ajuda outra pessoa a resolver as próprias dúvidas.

Aprendizado direto

Em geral, a troca de ensinar e aprender acontece entre colegas de curso ou amigos que estão estudando. Para exemplificar, um deles ensina português e, em retorno, aprende a fazer um mapa mental. Dessa maneira, ambos terminam esse ciclo virtuoso sabendo muito mais do que antes.

E, falando justamente em ciclo virtuoso, sabia que vocês não precisam fazer tudo sozinhos? Por meio do Estudaqui, é possível montar um ciclo de estudo personalizado, acessível e perfeito para suas necessidades. 

E isso não é tudo! Para ter um alto desempenho na hora de estudar, o aplicativo ainda permite, automaticamente:

  • Controlar o tempo de estudo, de modo simples e fácil;
  • Acompanhar as porcentagens de acerto no celular ou tablet;
  • Ver os relatórios de conclusão e os avanços do conteúdo;
  • Rever o histórico de tudo aquilo que já foi estudado;
  • Tomar ações para a melhoria da performance, com o apoio da melhor tecnologia de estudo do mercado.

5 táticas infalíveis para ensinar e aprender

Sem mais delongas, agora você vai descobrir como seus conhecimentos podem contribuir para outras pessoas. E o melhor: você reforça o que aprendeu, naturalmente. Isso tudo sem ter todo o conhecimento do mundo sobre uma disciplina. 

Então, confira 5 dicas para ensinar e aprender com facilidade, contando com os esforços colaborativos:

1. Entenda a estrutura de uma aula

Ter uma aula preparada é o primeiro passo para ensinar uma matéria, seja para quem for. No caso, você não precisa entender todos os princípios dessa preparação. Por outro lado, é importante saber os fatores básicos para facilitar o processo.

Para tal, comece organizando o conteúdo a ser estudado, com base em 3 perguntas-chave: O quê? Como? E por quê? Em paralelo, lembre-se que esse método deve ser adaptado conforme a complexidade do estudo, por exemplo: 

  • Qual é a matéria em questão? Pode ser um evento histórico, uma fórmula matemática, uma lei, uma regra gramatical etc. Isso varia de acordo com a área estudada no momento.
  • Como isso acontece? Aqui entram as motivações e os meios para o evento, a fórmula, a lei, a regra e afins.
  • Quais os motivos que te levaram a estudar o referido tema? E quais pontos específicos estão gerando dúvidas?

Adicionalmente, pense em uma conclusão para o assunto, bem como os resultados dessa ação. Por fim, considere também a relação disso tudo com as outras matérias estudadas. E, para se aprofundar ainda mais, prepare exercícios a fim de garantir o aprendizado.

2. Ensine para você mesmo

À primeira vista, estudar e aprender sozinho parece difícil e, por vezes, quase impossível de ser feito. Entretanto, uma boa alternativa é mudar a perspectiva e ser seu próprio professor. Para isso, basta seguir os passos anteriores e preparar uma super aula para si mesmo.

Fale em voz alta, faça anotações, elabore perguntas, resolva exercícios e pesquise para tirar dúvidas. No começo, pode parecer brincadeira ou teatro, mas esse estudo interativo é realmente eficaz.

3. Tenha um grupo de estudos

Já pensou em ter uma rede de apoio para que, juntos, possam aprender a estudar, na prática? Enfim, nada disso precisa ser fixo ou engessado, pois a proposta é ser uma experiência dinâmica e divertida. 

Pensando nisso, tente propor um grupo de estudos semanal ou quinzenal, até mesmo com encontros virtuais. Dessa forma, vários estudantes podem se beneficiar, independente do objetivo de cada um: 

Além disso, vocês não precisam se limitar a compartilhar dúvidas e resolver questões. Afinal de contas, a socialização é outro fator essencial para “clarear” a mente. Contudo, tentem evitar distrações desnecessárias, para manter o foco nos estudos, ok?

4. Ensine para um amigo

Um dos seus amigos estudantes está com dúvidas em uma certa matéria? Ou tem dificuldades em uma disciplina na qual você é muito bom? 

Nesse caso, que tal se oferecer para ajudá-lo a estudar? Assim, você fixa os ensinamentos e ainda ajuda seu amigo a se sair melhor na prova.

5. Ajude outros estudantes

Você não precisa dar aula para ensinar: basta ajudar alguém a superar dificuldades. Um bom jeito de fazer isso é acessando os fóruns e grupos online para estudantes. O Método de Estudo, por exemplo, tinha um grupo secreto no Facebook: a Liga da Aprovação.

Como mencionamos, vale lembrar que “ensinar e aprender” andam de mãos dadas em um ciclo virtuoso. Assim sendo, quanto mais você aprende, mais tem para ensinar. E, como resultado, quanto mais ensina, mais aprende. 

Sabemos que o caminho da aprovação é repleto de grandes desafios. No entanto, você pode superá-los mais facilmente se começar a estudar da maneira correta. E com o apoio de uma tecnologia de ponta, claro!

Para esse fim, conte com a expertise dos fundadores da Estudaqui, que foram aprovados nos melhores concursos e vestibulares. Aliás, eles desenvolveram uma solução completa para planejar, registrar, acompanhar, motivar e, finalmente, aprovar.

Por isso, não perca mais tempo: faça agora mesmo seu plano de estudo completo e eficiente, que inclui estatísticas de progresso. Em apenas 3 passos práticos, você monta um ciclo de estudo perfeito, customizado e com alto desempenho. 

Um abraço, Tiago Ribeiro Neves.

Ver todos os artigos de Tiago Ribeiro Neves

 

Crédito da imagem de capa: Freepik