Como escolher áreas de estudo para concursos públicos

Como escolher áreas de estudo para concursos públicos?

Muitos candidatos que sonham em ocupar um cargo público, antes mesmo de começar a estudar para concurso público e iniciarem seus estudos, já se deparam com uma grande dúvida: como escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos?

São muitas as áreas de estudo para concursos públicos, repletas de cargos bem remunerados, com escopos interessantes e, por isso, tentadores!

Bancária, policial, controle, fiscal… são muitas opções! Mas qual das áreas de estudos para concursos públicos será adequada ao seu perfil profissional e pretensão salarial?

Talvez você não saiba exatamente qual carreira quer seguir, mas, provavelmente, sabe o que não quer!

Por isso, uma boa alternativa para escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos é eliminar aquelas que são incoerentes com seus objetivos.

Neste artigo, vamos apresentar 7 áreas de estudos para concursos públicos que têm mais procura pelos candidatos. Confira!

Para escolher o concurso público ideal, conheça sua vocação

O ideal é que a escolha de uma das áreas de estudos para concursos públicos seja pautada pela vocação.

Se você gosta de uma determinada disciplina e tem prazer de estudá-la, seu aprendizado será facilitado e seus resultados otimizados.

Por isso, é válido pesquisar as ementas, os editais dos concursos e entender com quais você mais se identifica. Isso, é claro, levando em conta também a remuneração e a qualificação para o cargo.

A vocação também pode ou deve estar atrelada ao cargo. Se, por exemplo, você cursou Direito e sempre quis trabalhar como juiz, não deixe de perseguir seu sonho!

O concursando que escolhe uma área apenas pela remuneração correrá o risco de se frustrar após ser aprovado e tomar posse das atividades. Sim, é preciso começar a pensar no que vai acontecer depois da sua aprovação. Para te ajudar com essa etapa, indico a leitura de Passei no concurso, e agora? O que fazer após a aprovação”. 

Enfim, faça sua escolha conciliando sua vocação com uma remuneração capaz de bancar suas necessidades e desejos.

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui. E claro, continue lendo :).

Para facilitar sua vida, colocaremos primeiro a lista das principais áreas de estudos para concursos públicos, e depois colocaremos os detalhes de cada área no restante do artigo.

Principais áreas de estudos para concursos públicos

  • Área Bancária;
  • Área de Controle;
  • Área Fiscal;
  • Área Policial (Carreiras Policiais);
  • Área de Gestão;
  • Área de Tribunais;
  • Área Jurídica.

Agora sim, veja mais detalhes de cada área abaixo :).

Principais áreas de estudos para concursos públicos em detalhes

Conhecer as áreas de estudos para concursos públicos é fundamental para tomar uma decisão assertiva.

O aplicativo Estudaqui te dá a opção de fazer um plano de estudo perfeito para centenas de provas diferentes. Portanto, se você está na dúvida sobre para qual concurso estudar, sugiro que utilize o Estudaqui para criar um plano de estudo para cada uma das provas em que você está em dúvida.

Assim, você poderá saber como seria estudar pra cada uma delas na prática: quais matérias caem, quais você teria que estudar mais ou menos tempo, de quanto em quanto tempo você teria que estudar aquela matéria que você odeia, e muito mais.

Entretanto, a seguir selecionamos algumas informações valiosas para você começar sua pesquisa. Confira!

Área Bancária

Neste caso, tratamos especificamente do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, porque as atividades a serem exercidas em outros bancos são muito parecidas e a preparação é basicamente a mesma.

Para prestar um concurso da área bancária, é necessário ter ensino médio completo. O concurso, em geral, apresenta menor nível de dificuldade e oferece boa estabilidade financeira.

Entre as atribuições, está:

  • atendimento ao público;
  • comercialização de produtos e serviços;
  • redação de correspondências;
  • uso de sistemas informatizados do banco;
  • realização de outras tarefas administrativas.

Área de Controle

A preparação para concursos na área de Controle, em geral, envolve as matérias de controle externo e auditoria governamental, além de ser necessário aprofundar o estudo de AFO (Administração Financeira e Orçamentária) e administração.

Os concursos mais famosos dessa área são:

  • Tribunal de Contas da União (TCU)
  • Tribunais de Contas Estaduais;
  • Os seis tribunais municipais de contas existentes no Brasil;
  • Controladoria Geral da União (CGU);
  • Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Em geral, os concursos da área de Controle são difíceis e exigem muita dedicação e estudo. O nível de dificuldade do TCU, por exemplo, é superior a quase todos os certames da área fiscal, talvez todos.

Os concursos da área de Controle, em geral, aceitam inscritos que possuem qualquer nível superior e, muitos deles, aceitam também a formação em tecnólogo.

Nessa área, o servidor de nível superior cuidará da:

  • verificação de receitas e despesas públicas;
  • adequada gestão orçamentária, financeira e patrimonial de determinados órgãos e entidades.

Área Fiscal

A área fiscal é muito procurada por quem decide prestar concursos públicos, em razão do bom nível salarial oferecido.

Os editais, em geral, exigem muito conteúdo a ser estudado. Então, se você quer saber quanto tempo para passar em concurso público, saiba que, nessa área de estudos para concursos públicos, não basta um ano de estudos para estar preparado e alcançar a aprovação!

Não basta apenas ter um bom conhecimento de jurisprudência e das demais áreas básicas de qualquer concurso. Estudar para esse tipo de concurso envolve dedicação às questões contábeis e de exatas, que são, naturalmente, mais difíceis e trabalhosas.

As oportunidades estão no âmbito federal (Receita Federal e Auditor-Fiscal do Trabalho), no estadual (ICMS) e no municipal (ISS), o que amplia bastante o número de editais.

As atribuições dos cargos são similares, resguardadas as peculiaridades de cada tributo.

Nos últimos anos, houve uma “seca” de novos editais na área fiscal. Mas de 2020 em diante, o cenário pode ser mais  favorável.

A Receita Federal já enviou ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o pedido de realização de concurso público para preenchimento de 2.153 vagas, sendo 700 de Auditor-Fiscal e 1.453 vagas de Analista-Tributário.

Atribuições e exigências da área fiscal

Entre as atribuições da área fiscal, está:

  • examinar a contabilidade de empresas;
  • verificar a sua adequação à legislação pertinente;
  • atuar em processos administrativos-fiscais;
  • orientar o contribuinte em dúvidas quanto à legislação tributária e aos procedimentos relacionados à sua atividade.

Para os cargos de analista e auditor da Receita Federal, os interessados deverão ter nível superior em qualquer área, incluindo tecnólogos, assim como é exigido para quase todos os fiscos estaduais e municipais.

Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário ter formação superior em Direito ou Ciências Contábeis para prestar  quase nenhum concurso da área fiscal.

Área Policial (Carreiras Policiais)

Para quem deseja servir ao Estado de uma forma mais dinâmica, há as carreiras nos órgãos policiais do Brasil.
Há cargos em diversos segmentos, como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias civis e militares dos Estados e do DF.

Algumas preparações, como para a Polícia Federal, são mais complexas do que outras. E os salários, em geral, são proporcionais ao nível de exigência de cada cargo.

Também é típico da área que o candidato aprovado passe por um curso de formação antes de iniciar suas atividades.

A Polícia Federal é um dos concursos mais almejados da área policial, com vagas para agente, escrivão, papiloscopista, delegado e perito.

Atribuições das carreiras policiais

As atribuições de cada uma das carreiras da Polícia Federal são distintas entre si. Entenda:

  • Delegado: o candidato deve ser bacharel em Direito. O cargo é responsável por instaurar e presidir procedimentos policiais de investigação, orientar e comandar investigações relacionadas com a prevenção e a repressão de ilícitos penais, planejar operações de segurança, supervisionar e executar missões sigilosas etc.
  • Perito: exige graduação em nível superior, incluindo tecnólogo. O perito é responsável por realizar exames periciais em locais de infração penal e em instrumentos presumivelmente utilizados na prática de infrações penais, além de realizar pesquisas no interesse do serviço e coleta de dados e informações necessários para a complementação dos exames periciais.
  • Escrivão: exige diploma de nível superior. É responsabilidade do cargo cuidar das formalidades processuais, fazer termos, autos e mandados, além de observar prazos relativos aos procedimentos de investigação e acompanhar a autoridade policial em diligências.
  • Agente: o candidato deve ter nível superior. O agente deve executar investigações e operações policiais para a prevenção e repressão a ilícitos penais, além de dirigir veículos policiais e desempenhar outras atividades de natureza policial e administrativa.
  • Papiloscopista: executar, orientar, supervisionar e fiscalizar os trabalhos papiloscópicos de coleta, análise, classificação, subclassificação, pesquisa, arquivamento e perícias, bem como assistir à autoridade policial e desenvolver estudos na área de papiloscopia.
  • Se você realmente sonha com a aprovação em um concurso da Polícia Federal, é importante de preparar de maneira completa e focada. Para começar sugerimos que acesse nosso artigo:Como ser policial federal: o guia completo para o concurso”. 

Área de Gestão

A área de gestão envolve os certames das 11 agências reguladoras brasileiras. Entre as mais famosas, podemos citar:

  • Agência Nacional do Cinema (Ancine);
  • Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel);
  • Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ainda estão incluídos nessa área os concursos do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPOG) e do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Assim como na área fiscal, o pré-requisito pode variar, mas, em geral, há cargos de nível médio e de nível superior, podendo ser exigida ou não formação específica.

Área de Tribunais

Apesar de haver diversos tipos de tribunais (TJ, TRE, TRT, TRF, além dos superiores), você pode dedicar-se a uma preparação que inclua as principais matérias e depois, na proximidade de publicação do edital, acrescentar as específicas daquele tribunal.

Além disso, matérias como Direito do Trabalho, Direito Processual e Direito Civil podem ser encontradas facilmente nos editais de alguns dos seguintes tribunais:

  • Tribunais Regionais do Trabalho;
  • Tribunal de Justiça dos estados;
  • Tribunal Superior Eleitoral;
  • Tribunais Regionais Federais.

Os certames da área, em geral, exigem formação de nível médio ou superior. As atribuições dos cargos consistem na execução de tarefas relacionadas a:

  • movimentação e guarda de processos e documentos;
  • prestação de apoio técnico e administrativo às atribuições da unidade;
  • atendimento ao público.

Área Jurídica

A área jurídica envolve cargos específicos para graduados em Direito, como os concursos para Delegado, Defensor Público, Procurador do Estado ou Município, Procurador do Ministério da República e Juiz.
Muitos desses cargos são boas escolhas para graduandos em Direito que pensam em seguir a carreira pública.

Escolher uma das áreas de estudos para concursos públicos dependerá, também, do seu nível de formação.

Antes de fazer, analise se você já possui curso superior e, se não, se tem pretensões de se formar antes de tentar um concurso desejado.

Vale ressaltar que, caso você tenha apenas ensino médio e almeje um cargo de nível superior, vale investir na formação em tecnólogo, com apenas dois anos de duração.

Se você possui nível médio, também é válido tentar um concurso que sirva como “escada”, pois assim você terá condições financeiras e tranquilidade para estudar para um concurso de nível superior desejado.

Decidida a área de estudos para concurso público, é hora de colocar a mão na massa e estudar.

E sabia que você não precisa, e nem deveria, tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui para te guiar diariamente.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Tiago Ribeiro Neves.

Ver todos os artigos de Tiago Ribeiro Neves