Relação candidato por vaga - qual é a importância desta métrica

Relação candidato por vaga: qual é a importância desta métrica?

Quando chega ao fim das inscrições para uma determinada prova concorrida, é normal que a banca solte a temida relação candidato por vaga.

Muitos estudantes têm medo dessa métrica, pois acreditam que é ela que determina o nível de concorrência e, consequentemente, de dificuldade do certame.

Às vésperas da prova, essa análise pode até mesmo causar ansiedade em quem vem se preparando há algum tempo e sonha com o cargo.

Afinal de contas, vale mesmo a pena se preocupar com a relação candidato por vaga? Qual é a relevância dessa métrica? Entenda!

Relação candidato por vaga: um grande engodo

Que me desculpem os diversos especialistas no assunto, mas eu acredito que medir a dificuldade de uma prova pela relação candidato por vaga é uma grande bobagem.

Isso porque, no mínimo, 95% dos candidatos em uma prova são “turistas”. Isso quer dizer que se encaixam em algumas dessas categorias:

  • estão lá porque a família pediu/pressionou;
  • gente que acha que com fé e reza brava tem chance;
  • pessoas que estão fazendo o certame de treino.

Sendo assim, dizem que se houvesse uma estimativa real de uma concorrência séria em uma prova muito concorrida, ela seria de, no máximo, cinco candidatos qualificados por vaga.

Portanto, o que interessa é estar entre nesse grupo dos mais bem qualificados e ponto final.

Como mensurar a concorrência real do certame?

Não interessa saber quantas pessoas estão concorrendo a uma vaga, e sim quem são estas pessoas.

Logo, o que é relevante é a qualidade dos candidatos com os quais você concorre, e não a quantidade.

Em uma prova com 50 vagas disponíveis, por exemplo, você sempre terá uns cinco que serão aprovados de qualquer jeito, e nas cabeças, pois estão há anos acumulando experiência e conhecimento.

Para as outras 45 vagas, pode contar que terá entre 150 e 250 pessoas qualificadas para serem aprovadas nelas.

A diferença entre a aprovação e a reprovação estará em alguns aspectos, como:

  • anulação de questões;
  • sorte na hora de chutar;
  • controle emocional.

Dificilmente a diferença estará em nível de conhecimento entre os candidatos preparados, mas sim em fatores externos.

Em resumo, o que irá decidir os aprovados entre esses serão o nível de conhecimento nos temas que caíram na prova, sorte, calma na hora de fazer a prova, estado de saúde, etc.

Somente este pequeno grupo possui condições de passar na prova, pois, com raríssimas exceções, o resto só está ali para remunerar a banca organizadora.

Há, ainda, aqueles que estão ali treinando o ato de fazer prova para um próximo certame que acredite que tenha reais chances de passar.

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui. E claro, continue lendo :).

Você já passou na prova mais importante da sua vida!

Você sabia que você já venceu a prova mais concorrida da sua vida?

Você só está neste mundo porque foi aquele exato espermatozoide, dentre outros 100 milhões, que encontrou o óvulo da sua mãe.

Se você não tivesse passado nessa prova quase impossível, você não estaria aqui! rs

Assim sendo, qualquer relação candidato por vaga é ridícula perto desse seu primeiro desafio no qual você conquistou a aprovação, e ainda por cima em primeiro lugar!

Como saber se estou dentro da real disputa pelas vagas?

Para saber se você deve ter chances de ser aprovado, é necessário avaliar sua evolução enquanto estudante.

Por isso, analise se você está com alto índice de acertos em questões e já deu conta de todo o edital, com revisões organizadas, você tem chances.

Se quando o edital foi lançado você já dominava grande parte do conteúdo, você já está bem à frente da concorrência.

Em resumo, não interessa saber quantos candidatos são por vaga. O que interessa é que você esteja dentre os melhores que o coloque dentro do número de vagas.

Para garantir a aprovação, otimize os seus estudos!

Para ficar no bolo daqueles que têm chance de serem aprovados, é necessário otimizar constantemente os seus estudos.

Para vencer essa nova disputa, deixando a concorrência para trás como você fez quando ainda era um espermatozoide, o ideal é ter orientação.

Sendo assim, peça ajuda da tecnologia. Saiba que você não precisa, e nem deveria, tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Tiago Ribeiro Neves.

Ver todos os artigos de Tiago Ribeiro Neves