Entenda a relação entre ensinar e aprender e melhore seu desempenho

Entenda a relação entre ensinar e aprender e melhore seu desempenho

Para pensar na relação entre ensinar e aprender, podemos considerar que um não necessita do outro para ocorrer, porém, mutuamente, podem ajudar a conseguir bons resultados.

Mas como você pode ensinar e aprender em sua rotina como estudante? Neste post, vamos falar de formas que você pode aderir para colocar seu aprendizado em prática, ajudar outras pessoas e, de quebra, aprender um pouco mais.

Confira nossas dicas, que valem para quem estuda para concurso público, vestibular, Enem, OAB, carreiras militares, residência médica, ou qualquer outro tipo de estudo.

Por que ensinar e aprender estão relacionados?

Quando estamos aprendendo alguma coisa – seja uma disciplina complicada ou uma habilidade do dia a dia, como cozinhar – raramente pensamos que somos bons o suficiente para ensinar. Afinal, só pode ensinar quem tem um domínio completo sobre o assunto, certo?

Não exatamente. Ainda que professores devam ser profissionais com um conhecimento amplo, e não apenas alguém que entende parte de uma disciplina, não são apenas professores que podem ensinar em situações informais e rotineiras. Na verdade, quando se trata de concurseiros e outros estudantes, ensinar e aprender podem andar de mãos dadas todos os dias.

Você pode aprender mais enquanto ensina por dois motivos:

Praticar enquanto ensina

Quando você explica algo para alguém, tendo que formular nas próprias palavras o que aprendeu anteriormente, você consegue garantir que entendeu de fato tudo o que precisava entender. Falar em voz alta, anotar, explicar e construir raciocínios lógicos são maneiras de praticar o que já foi aprendido.

Além disso, repassando exercícios, você fixa melhor as respostas e, ajudando outras pessoas a resolvê-los, você desenvolve uma facilidade em responder questões e problemas.

Compartilhamento de dúvidas

Quando você ensina uma matéria para alguém, podem surgir dúvidas que você não teve antes. Pensando nas respostas para essas questões, você presta atenção em detalhes que tinham passado em branco, cria uma compreensão mais ampla da matéria e descobre fatos que ainda eram desconhecidos – além de ajudar outra pessoa a resolver as próprias dúvidas.

Aprendizado direto

Muitas vezes, os estudantes fazem essa troca de ensinar e aprender com seus colegas de curso ou amigos que também estão estudando. Você pode ensinar uma matéria e, em retorno, seu amigo ensina outra, e vocês dois terminam sabendo muito mais do que sabiam antes.

Entenda a relação entre ensinar e aprender e melhore seu desempenho 1

Você sabia?

Os fundadores da Estudaqui foram aprovados nos melhores vestibulares (USP/FUVEST, UFSCAR, UNIFESP etc) e também nos melhores concursos do Brasil (Auditor Fiscal de SP, do MT, do ES etc). E o projeto da Estudaqui foi validado por eles em alguns dos melhores cursos de empreendedorismo do mundo (Stanford, UC Berkely e Draper University), no Vale do Silício, na Califórnia.

Conheça nossa história e o aplicativo de estudo da Estudaqui. E claro, continue lendo :).

Maneiras de ensinar e aprender

O problema é que, quando queremos ensinar para aprender melhor enquanto estudamos, nenhuma alternativa parece muito natural. Como foi dito antes, muitos estudantes não confiam o suficiente em seus conhecimentos para ensinarem o que aprenderam.

Mas ensinar não precisa ser algo grandioso, em sala de aula, com um quadro à disposição e todo o conhecimento sobre a disciplina. Veja algumas dicas de como você pode ensinar e aprender com facilidade:

Entenda a estrutura de uma aula

A melhor maneira de ensinar uma matéria, seja para quem for, é ter uma aula preparada. Você não precisa entender todos os princípios da preparação de aula, mas saber ao menos alguns fatores básicos pode ajudá-lo a manter uma estrutura.

Comece organizando o conteúdo a ser estudado. Você pode fazer isso respondendo a algumas perguntas simples:

  • O quê? – qual é a matéria em questão? Pode ser um evento histórico, uma fórmula matemática, uma lei, uma regra gramatical, etc. Isso varia de acordo com a área estudada no momento.
  • Como? – como isso acontece? Aqui entram motivações e meios para o evento, fórmula, lei ou acontecimento em geral.
  • Por quê? – por fim, anote os motivos que levaram ao que você está estudando.

Esse método de organização talvez não sirva para todas as matérias, e pode ter que ser ajustado para ser aplicado a outras, mas é uma boa base para começar.

Depois, pense em uma conclusão para esse assunto, pensando em quais foram os resultados dessa ação, o que foi influenciado por esse acontecimento e quais outras matérias se relacionam a ele.

Para se aprofundar ainda mais, prepare exercícios a serem resolvidos que tenham a ver com a matéria.

Ensine para você mesmo

Estudar sozinho parece difícil e, para muitas pessoas, é quase impossível de ser feito. Mas que tal mudar sua perspectiva sobre o assunto e ser seu próprio professor? Você pode organizar uma aula, como foi dito acima, e utilizá-la para si mesmo.

Fale em voz alta, faça anotações – em um quadro ou folha de papel –, faça perguntas, resolva exercícios, pesquise para tirar suas dúvidas, etc. Isso pode parecer uma brincadeira ou um teatro, mas esse tipo de estudo, interativo e dinâmico, pode melhorar muito o aprendizado!

Tenha um grupo de estudos

Ensinar e aprender não precisam ser algo fixo, mas também pode ser uma experiência dinâmica e divertida. Se você faz um curso preparatório para concurso público, para o vestibular, provas de classe, ou apenas conhece outras pessoas que estão estudando, convide seus colegas e amigos para fazer um grupo de estudo.

Em um grupo de estudo, além de você pode socializar e conversar com seus amigos, também pode compartilhar dúvidas, resolver questões, ensinar e aprender o tempo todo. Fica muito mais fácil e prazeroso estudar em um ambiente assim! Mas esse grupo é para ser reunido em poucos dias, quinzenalmente, por exemplo, nada de querer reunir sempre porque isso o fará estudar bem menos que o devido.

Ensine para um amigo

Um dos seus amigos estudantes está com dúvidas em uma matéria? Ou tem dificuldades em uma disciplina em que você é muito bom? Que tal se oferecer para ajudá-lo a estudar? Assim, você fixa a matéria e ainda ajuda seu amigo a se dar melhor na prova.

Ajude outros estudantes

Você não precisa dar uma aula para ensinar: basta ajudar alguém a tirar suas dúvidas. Um bom jeito de fazer isso é procurando fóruns e grupos online em que outros estudantes conversam e postam suas dúvidas.

Método de Estudo, por exemplo, tinha um grupo secreto no Facebook para seus alunos da Liga da Aprovação. Você só precisa entrar lá, ver as dúvidas que seus amigos estudantes estão postando e ajudá-los a resolver.

Você pode utilizar esse material para revisar a matéria ou passá-lo para outras pessoas que também estão estudando – e, assim, você pratica a matéria e acaba ensinando.

Ensinar e aprender andam de mãos dadas em um ciclo: quanto mais você aprende, mais tem para ensinar; e quanto mais ensina, mais aprende. Ensine a si mesmo, aos seus colegas, aos amigos, e aprenda sempre mais!

O caminho da aprovação é repleto de grandes desafios, mas você pode deixá-los muito mais fáceis se você estuda da maneira correta.

Saiba que você não precisa, e nem deveria, tentar fazer tudo sozinho, facilite a sua vida usando uma tecnologia como a do aplicativo Estudaqui.

Em poucos segundos o app monta seu ciclo de estudo perfeito personalizado, sem você precisar ter qualquer trabalho. E isso não é tudo! O Estudaqui ainda permite, automaticamente:

  • controlar o tempo de estudo de maneira simples e fácil;
  • acompanhar as porcentagens de acerto em qualquer celular ou tablet;
  • ver relatórios de conclusão de estudo e avanços do conteúdo;
  • rever o histórico de tudo o que foi estudado;
  • tomar ações para melhoria de desempenho com ajuda da melhor tecnologia de estudo do mercado.
  • Acesse o site e conheça mais sobre o Estudaqui: estudo de alto desempenho, simples e acessível a todos!

Fique à vontade para compartilhar o artigo nas redes sociais.

Um abraço, Tiago Ribeiro Neves.

Ver todos os artigos de Tiago Ribeiro Neves